Como se recuperar do jet lag sem café e outros macetes de viagem

Como se recuperar do jet lag sem café e outros macetes de viagem

Se você viaja muito de avião e faz voos longos, é bom ficar de olho nestas dicas

A curadora e diretora de criação Ximena Caminos foi criada em Buenos Aires, onde trabalhou no Museu de Arte Latino-Americana de Bueno Aires (Malba) antes de partir para uma parceria pessoal e profissional com o agora ex-marido Alan Faena.

Juntos, eles planejaram os hotéis homônimos dele na Argentina e em Miami Beach; o foco de Ximena era consolidar a credibilidade dos complexos no mundo da arte por meio de exposições, encomendas específicas para o local e centros culturais dedicados. Ximena foi a força motriz por trás do centro de artes Faena Forum, em Miami, inaugurado com bastante alarde há dois anos durante o Art Basel Miami Beach. (Ela continua dando consultoria a Faena).

Como alguém que viaja mais de 600 mil quilômetros por ano de avião, Ximena é devota da American Airlines e faz parte do grupo de ultraelite da empresa, o Concierge Key. “Recebo muitos benefícios por isso”, diz. “E uso bastante.”

Ela mora em Miami com os filhos. A seguir, algumas de suas dicas de viagem.

Eu viajo para todos os lugares com erva-mate. Nós, argentinos, somos realmente viciados em mate; é a nossa versão do chá verde, uma infusão que pode ser tomada o dia todo e que te deixa ativo. Eu tomo especificamente na parte da manhã – assim como os americanos e europeus tomam café -, mas o café te causa tremores e dura pouco, gera um impulso de apenas 20 minutos.

O mate não agride o estômago e te mantém acordado, mas sem tremores. Eu preparo uma versão especial própria, às vezes com folhas de coca que trago de contrabando da Colômbia, e de camomila com um pouco de mel, então acaba sendo 70 por cento mate. É um ritual, trago minhas próprias cuias e bombas, que são aqueles canudos de metal. E até mesmo uma garrafa térmica que comprei na Islândia, da Laken. Se você pede uma garrafa térmica emprestada no hotel, normalmente vem com aroma de café.

Vale a pena não planejar com antecedência

Para mim, viajar é quebrar a rotina, já que no resto do ano você realmente precisa trabalhar duro. Eu nunca compro passagem com antecedência. Costumo mudar tanto as datas que acaba saindo mais caro [pagar multas por mudança] do que comprar em cima da hora. Além disso, quando se compra de última hora, também é possível conseguir vantagens incríveis. Descobri que muitas vezes dá para conseguir ótimas ofertas nas últimas 24 horas antes de uma viagem. Somos escravos do tempo, do relógio, de nossas obrigações, da rotina. Essa rotina esteriliza sua mente.

Quer conhecer uma cidade de verdade? Use Jorge Luis Borges como guia turístico

Tem uma frase de Borges que sempre me impactou quando era adolescente. Diz assim: “para realmente conhecer uma cidade, é preciso perder-se nela”. Eu gosto dessa brincadeira. Há uma sensação de admiração. Acho que se perder te abre mais, porque você presta mais atenção. Se sabe que vai daqui para lá, você se concentra no caminho, no mapa, não no território. Mas quando você está perdido, você analisa o território.

A última vez que me perdi? Eu peguei meu filho Noah, de 8 anos, quando estávamos em Tóquio. Eu disse a ele: “vamos nos perder”. Então, entramos no metrô e pegamos um trem por uma hora, depois descemos onde queríamos, no bairro mais estranho que se possa imaginar, chamado Shimokitazawa. Era uma área comercial de baixo padrão com muitos lugares de moda retrô e galerias. Foi muito divertido e acabamos comprando uma camisa superlegal.

Furacão Florence chega aos EUA e cancela 1,4 mil voos

Furacão Florence chega aos EUA e cancela 1,4 mil voos

  
Divulgação Nasa

Furacão Florence chega hoje nos EUA

Furacão Florence chega hoje nos EUA

Com a contínua aproximação do furacão Florence da Costa Sudeste dos Estados Unidos, algo previsto para acontecer ainda nesta quinta-feira (13), os cancelamentos de voos tiveram início – e já passam dos milhares.

De acordo com o serviço de rastreamento de voos Flight Aware, pouco mais de 1,4 mil voos previstos para serem realizados entre quarta e sábado já haviam sido cancelados.

Vale destacar que a maioria dos aeroportos da região costeira dos Estados da Carolina do Sul e Carolina do Norte, que devem ser os mais atingidos pela tempestade, foi fechado para qualquer voo nesta quinta-feira. A previsão é que os serviços neles não retornem até sábado

Somente na quinta-feira, as companhias aéreas já haviam cancelado 583 voos – antecipando às esperadas paralisações de operações nos aeroportos da região. Outros 475 voos já foram cancelados para sexta-feira (14), e mais 75 para sábado (15). Os números devem aumentar.

Além dos aeroportos maiores de Charleston, Wilmington e Myrtle Beach, aconteceram cancelamentos também em cidades menores das Carolinas, como nos aeroportos de New Bern, Jacksonville e Fayetteville.

De acordo com reportagem doUSA Today, dezenas de voos foram cancelados também em Charlotte, no interior da Carolina do Norte e importante centro da American Airlines – nesta quinta-feira a transportadora já informou que cancelou 705 voos, inclusive de suas afiliadas regionais, de quarta a domingo (16).

REEMBOLSOS
Diversas aéreas norte-americanas e a Latam já divulgaram possibilidades de remarcação e reembolso de voos cancelados; confira neste link.

fonte: panrotas.com.br

Furacão ‘mais forte em décadas’ chega nos EUA; Cias Aéreas reagem

Furacão ‘mais forte em décadas’ chega nos EUA; aéreas reagem

Divulgação Nasa

Furacão Florence está em nível quatro, mas pode subir à categoria cinco antes de chegar aos EUA

Furacão Florence está em nível quatro, mas pode subir à categoria cinco antes de chegar aos EUA

Considerado “extremamente perigoso” pelo Centro Nacional de Furacões (NHC) dos Estados Unidos e com possibilidade de chegar à categoria cinco (mais elevada), o furacão Florence, atualmente no Oceano Atlântico, deve chegar na costa leste do país nesta quinta-feira (13), reportou a BBC News.

Atualmente em categoria quatro, com ventos de até 195 quilômetros por hora, o fenômeno já forçou o governador da Carolina do Sul a ordenar evacuação total de seu litoral, enquanto os Estados da Carolina do Norte e Virgínia declararam estado de emergência.

Ainda de acordo com o NHC, a tempestade pode ser a mais forte a atingir a região em décadas, com possibilidade de trazer níveis catastróficos de chuva e inundações para as regiões costeiras e até no interior dos Estados do Leste do país.

AÉREAS OFERECEM REEMBOLSO
Como resposta ao perigo iminente do furacão chegar aos Estados Unidos, diversas companhias aéreas já agiram em antecedência, e oferecem medidas no caso de voos cancelados dentro e para o país – entre elas a possibilidade de alteração de datas e itinerários com isenção de taxa, e até cancelamento de voos com reembolso.

Uma delas é a Latam Airlines. A aérea já anunciou que passageiros de voos cancelados de e para Orlando, Miami, Boston e Nova York, a princípio nos dias 12 e 13 de setembro, podem cancelar sua passagem e pedir a restituição do valor dela, sem cobrança de penalidade.

As passagens podem ainda ter seu itinerário alterado sem multas, mas sujeitas a diferenças de tarifa e validade do bilhete. Adiamentos de passagens emitidas no Brasil também são possíveis, sem cobrança de taxa, até o final da validade do bilhete.

Já de acordo com o Travel Mole, os clientes da American Airlines podem remarcar até o dia 19 de setembro voos marcados para esta semana em dezenas de aeroportos, da Geórgia à Virgínia – isso inclui Savannah, Charleston, Wilmington, Asheville, Charlotte, Richmond e Norfolk.

A Jetblue estendeu sua janela de remarcação para o dia 20 de setembro, sem cobrança de taxa, e inclui serviços de e para Charleston, na Carolina do Sul; Charlotte, na Carolina do Norte e ainda Raleigh e Richmond, na Virgínia. As isenções da Southwest Airlines devido ao furacão cobrem voos de 11 a 17 de setembro e podem ser remarcadas em 14 dias a partir da data original.

fonte: panrotas.com.br

Insatisfeita, Latam Brasil compra e acaba com Multiplus

Insatisfeita, Latam Brasil compra e acaba com Multiplus

Divulgação

O Latam Airlines Group SA anunciou hoje que sua afiliada consolidada Tam Linhas Aéreas SA (agora conhecida como Latam Airlines Brasil), não pretende renovar ou estender seu acordo operacional com a Multiplus SA, sua afiliada de coalizão de fidelidade, após 31 de dezembro de 2024. Simultaneamente, a Latam Airlines Brasil anunciou sua intenção de comprar todas as ações ordinárias da Multiplus que as afiliadas da Latam não possuem atualmente (“Delisting Tender Offer”) e, posteriormente, delistar a Multiplus do Novo Mercado B3 no Brasil e cancelar seu registro.

Segundo comunicado da Latam, desde a associação de negócios da Lan e Tam, em 2012, as afiliadas do Latam Airlines Group têm operado dois programas de passageiro frequente separados e distintos. No Brasil, o Latam Fidelidade (herdado da Tam) é operado pela Multiplus. A Latam detém indiretamente uma participação de 72,7% na Multiplus; o restante é negociado no Novo Mercado B3 no Brasil desde seu IPO, realizado em 2010 – antes da associação de negócios da Lan e da Tam.

Já o Latam Pass – sucessor do programa Lan Pass da Lan – é o principal programa de passageiros frequentes na maioria dos mercados de língua espanhola. O Latam Pass é totalmente de propriedade da Latam e operado internamente pela empresa e atualmente tem 14,7 milhões de associados. A intenção é que a Latam Brasil siga esse modelo de negócios, voltando a operar seu programa de fidelidade.


RESULTADOS INSATISFATÓRIOS
“Apesar dos esforços coordenados da Latam, da Latam Airlines Brasil e da Multiplus, a força inerente ao produto não foi suficiente para reforçar a liderança da Multiplus no mercado brasileiro de pontos de fidelidade, cada vez mais competitivo. Apesar de vários aditivos ao contrato que buscaram restabelecer a competitividade (incluindo, mais recentemente este ano, reduções médias de 5% nos preços domésticos de passagens e de 2% nos preços dos tickets internacionais oferecidos à Multiplus), a participação de mercado da Multiplus continuou sem evoluir”, analisa a Latam em comunicado.

Como resultado, a Latam Airlines Brasil notificou ontem o Conselho de Administração da Multiplus que não pretende renovar ou prorrogar o contrato após 31 de dezembro de 2024. “No futuro, a Latam Airlines Brasil pretende administrar seu programa de fidelidade de passageiros internamente, proteger os yields de passageiros da companhia aérea e obter flexibilidade total na gestão de sua estratégia de receita”.

A fim de minimizar os custos de transição e atrito para todas as partes interessadas, o Latam Airlines Group decidiu apoiar a Latam Airlines Brasil na busca da aquisição completa da Multiplus. A aquisição da Multiplus e sua total integração à rede da Latam, juntamente com o Latam Pass, criarão o que a Latam estima ser o quarto maior programa de passageiro frequente e de fidelidade do mundo (medido pela quantidade de clientes) e consolidará o relacionamento do Grupo Latam com os 21,1 milhões de clientes na Multiplus. “Os pontos dos clientes da Multiplus e benefícios de resgate permanecerão intactos, e os parceiros comerciais da Multiplus se beneficiarão de melhorias em aquisição de clientes, retenção e compartilhamento de carteira”, garante a empresa em comunicado.

A transação abrangerá um processo de oferta pública (a “Oferta”) da Latam Airlines Brasil pelo equivalente a aproximadamente 27,3% do capital social em circulação da Multiplus e o subsequente cancelamento do registro da Multiplus como companhia aberta na CVM e da exclusão da Multiplus do segmento de listagem Novo Mercado (“Exclusão de registro”), de acordo com as leis e os regulamentos corporativos e de valores mobiliários brasileiros.

A Latam Airlines Brasil espera arquivar a referida documentação até o início de outubro.Para capturar rapidamente as sinergias projetadas, a intenção da Latam Airlines Brasil é incorporar a Multiplus na Latam Airlines Brasil no prazo mais breve possível após concluir o processo de Exclusão de registro.

A Latam Airlines Brasil anunciou um preço de compra pretendido de R$ 27,22 por ação, o que representa o preço médio ponderado da ação medido pelo volume de dividendos da Multiplus nos últimos 90 pregões. O preço de compra pretendido representa um prêmio de 11,6% sobre o preço da ação de R$ 24,40 da Multiplus no fechamento do mercado ontem e implica uma aquisição total aproximada de R$ 1,2 bilhão (cerca de US$ 289 milhões) para todo o free float de 27,3% Multiplus.

fonte: panrotas.com.br

Senado aprova fim da cobrança para marcar assento em voos

Senado aprova fim da cobrança para marcar assento em voos

avião,passageiro
avião,passageiro

Os senadores aprovaram nesta terça-feira (8) projeto que proíbe companhias aéreas de cobrarem valor adicional pela marcação antecipada de assentos. A proposta coíbe práticas consideradas abusivas e garante a gratuidade na marcação de assentos para os voos ocorridos no território brasileiro. Como é originário do Senado, o projeto precisa ser aprovado também pelos deputados antes de ir para sanção presidencial e se tornar lei.

A proposta do Senado ocorre após recente anúncio de empresas aéreas sobre cobrança pela marcação prévia de assentos em seus voos. O projeto de lei foi apresentada neste ano pelo senador Reguffe (sem partido-DF), que criticou a medida das aéreas e disse que os consumidores brasileiros ficaram “apreensivos com mais essa prática abusiva”.

O Ministério da Justiça, por meio da Secretaria Nacional do Consumidor (Senacon), avaliou que a cobrança para marcação dos assentos do vôo não configura ilegalidade. As empresas aéreas já cobravam por bagagens despachadas, amparadas pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), que autorizou em 2016 a cobrança desse valor extra dos viajantes.

“Não podemos permitir que tal abuso se concretize. Importante esclarecer que o ato de ‘marcar o assento’ nada mais é que a consequência natural e óbvia da própria compra da passagem aérea pelo consumidor. Nesse sentido, ao adquirir uma passagem aérea, a pessoa passa a ter o direito de ser transportado, em segurança, do local de origem ao destino, conforme contratado”, justificou o parlamentar, ao sugerir o projeto que impede a cobrança pelo assento.

No plenário, a senadora Simone Tebet (MDB-MS) defendeu a aprovação do texto. “Desde fevereiro, estamos travando uma batalha. O consumidor, aquele que compra a passagem aérea, está tendo que pagar até R$15 para marcar assento. A Anac, notificada, disse que não tem nada contra, quer inclusive ajudar o consumidor, mas disse que essa matéria não está regulamentada. Portanto, o que a Anac disse? Que o Congresso Nacional pode regulamentar”, afirmou.

Fonte: panrotas.com.br

Dólar alto faz viagens ao exterior despencarem e incentiva promoções

Dólar alto faz viagens ao exterior despencarem e incentiva promoções

É melhor adiar a viagem internacional por causa do dólar alto ou aproveitar oportunidades?

São Paulo – A alta de 16% do dólar entre abril e junho provocou uma queda brusca na procura por viagens internacionais. De acordo com um levantamento feito pelo buscador de viagens Kayak, enquanto em abril 64% dos usuários da plataforma buscavam viajar para fora, em junho apenas 46% dos visitantes do site tinham esse mesmo objetivo. Ou seja, uma queda de 28%.

A queda na demanda por essas viagens, contudo, cria oportunidades. Companhias aéreas, hotéis e agências antecipam para agora descontos que só seriam obtidos pelos viajantes em setembro e outubro, diz Viviane Pio, gerente da CVC. “Na compra de passagens, é possível obter, em média, 10% de desconto em destinos da América Latina e 20% de desconto para destinos nos Estados Unidos”.

Tahiana Rodrigues, diretora do comparador Skyscanner para a América Latina, explica que há mais voos entre o Brasil e o país norte-americano do que para a Europa. Com a queda na demanda, os descontos tendem a ser mais agressivos onde há maior competição. “É uma tendência bem parecida com o que vimos em 2015, quando o dólar também atingiu o patamar de 4 reais”.

fonte: exame.com.br