Dólar alto faz viagens ao exterior despencarem e incentiva promoções

Dólar alto faz viagens ao exterior despencarem e incentiva promoções

É melhor adiar a viagem internacional por causa do dólar alto ou aproveitar oportunidades?

São Paulo – A alta de 16% do dólar entre abril e junho provocou uma queda brusca na procura por viagens internacionais. De acordo com um levantamento feito pelo buscador de viagens Kayak, enquanto em abril 64% dos usuários da plataforma buscavam viajar para fora, em junho apenas 46% dos visitantes do site tinham esse mesmo objetivo. Ou seja, uma queda de 28%.

A queda na demanda por essas viagens, contudo, cria oportunidades. Companhias aéreas, hotéis e agências antecipam para agora descontos que só seriam obtidos pelos viajantes em setembro e outubro, diz Viviane Pio, gerente da CVC. “Na compra de passagens, é possível obter, em média, 10% de desconto em destinos da América Latina e 20% de desconto para destinos nos Estados Unidos”.

Tahiana Rodrigues, diretora do comparador Skyscanner para a América Latina, explica que há mais voos entre o Brasil e o país norte-americano do que para a Europa. Com a queda na demanda, os descontos tendem a ser mais agressivos onde há maior competição. “É uma tendência bem parecida com o que vimos em 2015, quando o dólar também atingiu o patamar de 4 reais”.

fonte: exame.com.br

Latam muda regras de alteração de voos para o mesmo dia

Latam muda regras de alteração de voos para o mesmo dia

A Latam Airlines Brasil anunciou que, a partir do dia 16 de agosto, passageiros com bilhetes nas tarifas Light, Plus e Top poderão antecipar ou adiar suas viagens para voos na mesma data, medida que deve ser feita com até uma hora de antecedência do horário original.

Para os clientes com bilhetes Light, o valor de cada um dos serviços será de R$ 75, os quais poderão ser adquiridos pelo site com cartão de crédito ou débito. Quem tem Latam Fidelidade das categorias Black Signature, Black e Platinum, além de passageiros com bilhetes comprados na tarifa Top e Plus, não pagam por nenhum dos serviços. Os usuários da categoria Gold também contarão com a gratuidade até dezembro deste ano.

“Queremos oferecer ainda mais flexibilidade para os clientes que voam a negócios para outras cidades e que, por uma eventualidade no trabalho ou no trânsito, precisam prolongar ou antecipar a sua estada por mais algumas horas”, destaca o diretor de Marketing e Vendas da Latam Airlines, Igor Miranda. “Se antes essas pessoas tinham de se apressar para o aeroporto, agora basta que façam a alteração por meio do site da companhia”, completa.

Também a partir de 16 de agosto a aérea alterará as regras para a marcação do assento, o que significa que a escolha dele poderá acontecer desde o momento da compra do bilhete até 40 minutos antes do horário de partida do voo. “A medida tornará mais eficiente a segmentação da cabine, garantindo mais opções aos nossos clientes, de acordo com a relevância que a localização da poltrona tem para cada um deles”, afirma Miranda.

O valor cobrado pela escolha do assento será de R$15 para os usuários que comprarem na tarifa Light e R$25 para os bilhetes adquiridos na tarifa Promo, com possibilidade de pagamento com cartões de crédito e débito pelo site da aérea ou diretamente no aeroporto. Não pagam por nenhum dos serviços os clientes Latam Fidelidade das categorias Black Signature, Black e Platinum, além de passageiros com bilhetes comprados nas tarifas Top e Plus.

Para os passageiros que optarem em não escolher seu assento, a seleção será feita de forma automática, 48 horas antes do voo. A Latam recomenda que os clientes que adquirirem os seus bilhetes até o dia 15 de agosto consultem a sua reserva na seção Minhas Viagens no site da empresa e façam a marcação do assento de forma gratuita, independentemente do perfil da tarifa adquirida.

fonte: panrotas.com.br

Gol acompanha concorrentes e aumenta taxa de bagagem

Gol acompanha concorrentes e aumenta taxa de bagagem; veja preços

A Gol Linhas Aéreas é a terceira aérea brasileira a aumentar o preço do despacho de bagagens neste mês, após Avianca Brasil e Azul fazerem o mesmo. Os novos valores forem fixados em 21 de junho.

Na compra on-line antecipada para voos domésticos, a primeira bagagem sai pelo preço de R$ 50 reais; a segunda custa R$ 70, e a partir da terceira são cobrados R$ 80 por peça. Antes, os valores eram R$ 30, R$ 50 e R$ 60, respectivamente – ou seja, o aumento foi de R$ 20 para todas as peças.

Quem for direto no balcão de check-in vai notar um aumento foi de R$ 40 em todas as bagagens. Para a primeira peça, os preços passam de R$ 60 para R$ 100; a segunda subiu de R$ 100 para R$ 140, e a terceira, que saia por R$ 120, custa agora R$ 160.

VOOS INTERNACIONAIS
Antes calculado em dólar, o preço por bagagem para os voos internacionais passa a ser cobrado em reais: R$ 50 para a primeira bagagem através dos canais digitais; R$ 115 para a segunda, e R$ 165 para terceira. Se comprar direto no check-in, os preços são R$ 100 para a primeira, R$ 230 para a segunda, e R$ 330 para a terceira peça.

Caso a compra seja feita no Exterior, os preços se mantém na moeda norte-americana, mas também sofreram aumento. Antes por US$ 10 nos canais digitais, a primeira bagagem sai por US$ 15; a segunda, que saia por US$ 30, passa a custar US$ 35, e a terceira subiu de US$ 45 para US$ 50. Para compra no balcão de check-in, os preços passam de US$ 20 para US$ 30 na primeira bagagem; de US$ 60 para US$ 70 na segunda, e de US$ 90 para US$ 100 no restante.

Confira nas tabelas abaixo os preços a partir de agora na Gol:

Bagagens Voos nacionais Voos internacionais
Bagagem despachada (até 23kg cada) Canais digitais Balcão de check-in Canais digitais Balcão de check-in
1ª bagagem (Tarifa Light e Promo) R$ 50 R$ 100 R$ 50 R$ 100
2ª bagagem R$ 70 R$ 140 R$ 115 R$ 230
3ª a 10ª bagagem (cada) R$ 80 R$ 160 R$ 165 R$ 330

EXCESSO DE BAGAGEM
Os valores cobrados por excesso de bagagem também foram elevados. Antes, eram R$ 12 por quilo acima do permitido para voos nacionais, e US$ 4 para voos internacionais; com a mudança passa a ser cobrado R$ 25 em ambos os casos.

Nenhuma peça pode ultrapassar 45 quilos em voos domésticos, e 32 quilos em internacionais. Cada passageiro poderá comprar até 200 quilos como excesso de bagagem, e caso esse limite seja ultrapassado, o cliente deverá despachar as peças como carga.

fonte: panrotas.com.br