Casa de Elizabeth Taylor e Richard Burton em Puerto Vallarta reabre como hotel boutique

casa_kimberly_2016

Foto: Divulgação

 

Um dos principais destinos turísticos do México, Puerto Vallarta chama a atenção por suas raras belezas. Mas foram as visitas de dois grandes astros do cinema hollywoodiano que levaram o nome do balneário ao mundo todo: Elizabeth Taylor e Richard Burton.

A Casa Kimberly, antigo refúgio do casal na década de 1960, foi transformada recentemente pelos atuais donos em um hotel boutique de nove suítes com temática toda voltada à história de Taylor e Burton.

Os atores estiveram em Puerto Vallarta pela primeira vez no início da década de 1960 a convite de um amigo. Em 1963, quando Burton voltou à região para as filmagens de A Noite da Iguana, adquiriu a casa como um presente de aniversário para Liz. O imóvel tornou-se destino constante do conturbado casal até o momento do divórcio, em 1976. A casa permaneceu com Taylor até 1990, quando foi vendida com tudo dentro, inclusive roupas da atriz.

O hotel conta com piscina, spa e um restaurante chamado The Iguana, em homenagem ao filme estrelado por Burton e lançado em 1964. As suítes também seguem a temática do casal. A Cleopatra Suite homenageia o clássico em que os dois atuaram juntos e dispõe de um pátio privado e uma bela vista da baía de Banderas. Já a Elizabeth Taylor Suite é a mais luxuosa, incluindo um candelabro de cristais Swarovski e uma banheira de marfim rosa em formato de coração, feita sob encomenda a pedido da atriz. Uma noite neste quarto não sai por menos de US$ 825 (R$ 3.280, aproximadamente).

A hoteleira Janice Chatterton, responsável pela remodelação da propriedade, afirma que a intenção é “exalar romance”. Para atingir esse estado, o hotel adota certas regras, entre elas a de não aceitar crianças como hóspedes. “Desenhei a propriedade com suítes luxuosas e terraços espaçosos para que todos os pontos tenham sempre uma vista linda. Some isso à tumultuada, mas intensa história de Taylor e Burton e você tem a receita perfeita para o romance”,completa

Fonte:Jornal Turismo & Eventos

Que tal se hospedar em uma caverna a 67 metros de profundidade???

Veja suíte em caverna!!!!!!

Destinos , Caverna foi formada a 65 milhões de anos - Fotos: divulgação/Grand Canyons Caverns

Caverna foi formada a 65 milhões de anos – Fotos: divulgação/Grand Canyons Caverns
Uma caverna nos Estados Unidos abriga uma suíte subterrânea a 67 metros de profundidade. A acomodação fica dentro de uma gruta, próxima ao Grand Canyon, no Arizona. Segundo os idealizadores do projeto, a gruta foi formada a 65 milhões de anos.

A hospedagem busca recriar uma atmosfera caseira, com uma estante repleta de livros, televisão, dois sofás, poltrona, duas camas, banheiro e uma vitrola. Luzes coloridas ao redor do cômodo iluminam o espaço.

Para chegar até o quarto, os visitantes tem de utilizar um elevador na superfície da caverna. A Grand Canyons Caverns garante que o ambiente é seguro e não há animais perigosos.

A diária para duas pessoas custa US$ 800, aproximadamente R$ 3,1 mil, e cada hóspede adicional sai por US$ 100 (cerca de R$ 396). Mais informações consulte-nos!

fonte: panrotas.com.br

Tocha Olímpica percorrerá 329 cidades no País; confira

Mercado ,

Símbolo máximo dos Jogos Olímpicos, a Tocha Olímpica percorrerá 329 cidades do País. O tour começa no dia 3 de maio e termina no Rio de Janeiro, palco principal dos Jogos. Em 95 dias serão percorridas mais de 300 cidades, incluindo todas as capitais estaduais, em caminho traçado por mais de 20 mil quilômetros (além de 10 mil milhas aéreas) e envolvendo cerca de 12 mil condutores.

No Brasil, além de divulgar os vários aspectos da cultura das cinco regiões do país, a passagem da tocha “aquece” a população para os Jogos Olímpicos Rio 2016, que serão realizados de 5 a 21 de agosto. Dentre os critérios de escolha das cidades para o percurso estão o interesse turístico e a logística.

O revezamento da tocha começa pela região Centro-Oeste, tendo como ponto de partida a capital federal Brasília. Depois a Tocha segue para o Sudeste entrando por Minas Gerais e Espírito Santo, passando por cidades históricas como Ouro Preto e Tirandentes, e praias, como Guarapari, e na sequência segue viagem para a região Nordeste. Depois de passar por todos os Estados a Tocha chega à Região Norte. Da Amazônia, a tocha retorna à Centro-Oeste por Mato Grosso e Mato Grosso do Sul, e percorre parte da Sudeste, entrando por São Paulo, rumo à região Sul.

A última etapa do revezamento da tocha Olímpica tem o retorno do Sul para a região Sudeste, entrando pelo rico interior de São Paulo. O percurso passa pelo litoral norte paulista, um trecho com algumas das mais belas praias do país, volta à região de serras e desce de volta para o Rio de Janeiro, passando pela Baixada Fluminense e chegando à Cidade Maravilhosa, que terá seu revezamento interno da tocha até o acendimento da pira, na cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos, em 5 de agosto.

CLIQUE AQUI e veja quando e onde assistir a Tocha Olímpica.

Fonte:Panrotas

Route 66: conheça a histórica estrada americana

Destinos , Construção da route 66 terminou em 11 de novembro de 1926 (Foto:Maxitravel.pt)

Construção da route 66 terminou em 11 de novembro de 1926 (Foto:Maxitravel.pt)

Uma das estradas mais lendárias e famosas dos Estados Unidos, a “Route 66” é uma rodovia que foi construída nos anos 1920 e passa por 3.945 quilômetros de terras norte-americanas. O tempo médio para percorrer a rota de ponta a ponta é cerca de 51 horas.

A Rota 66 começa em Chicago, no Estado de Illinois, e vai até Los Angeles, na Califórnia. Durante o trajeto, cruza também os Estados do Missouri, Kansa, Oklahoma, Novo México e Arizona. Fora isso, a estrada atravessa as ruas de Chicago e St. Louis. Ao passear pela rodovia é possível ainda observar o Grand Canyon, interagir com comunidades indígenas do sudeste do país e aproveite uma praia em Santa Mônica. Que tal?

Para os norte-americanos, a Rota 66 não é apenas uma estrada, e sua história é um dos motivos que a fazem ser especial e conhecida por muitos. Em meados de 1940, a estrada passava por pequenas cidades ao longo do meio oeste e sudeste do país, e era frequentemente chamada de “rua principal de América”.

No fim dos anos 1950, a estrada ficou ultrapassada e perdeu espaço para as autoestradas interestaduais. No entanto, continuava famosa no imaginário coletivo e foi cenário da antiga série de TV “Route 66”. O filme Carros, da Disney e Pixar, foi inspirado em um passeio que um dos diretores fez pela estrada.

Foto: Flickr/ Bill Dickinson

Desativada desde 1984, a estrada agora chama “Histórica Rota 66” e ainda proporciona a nostalgia para os que desejam ser levados de volta ao passado. Para isso, hotéis e restaurantes na beira de estrada fazem o trabalho de ambientação e boas-vindas aos visitantes.

Uma das mais famosas hospedagens presentes na rota é o Rancho Hotel, em Gallup, Novo México, local que já recebeu celebridades como John Wayne e Humphrey Bogart.

Se ainda não se convenceu, aí vão outros pontos turísticos presentes ao longo da rota: Willis Tower, em Chicago, Arco Gateway, em St Louis, Reserva Nacional do Mojave, em Nipton, Califórnia; Museu Nacional Cowboy & Western Heritage, em Oklahoma City. Já no Texas, um restaurante vale destaque: Big Texan, que oferece bifes que pesam quase dois quilos. No Novo México, o Route 66 Diner, em Albuquerque, é um típico restaurante no estilo diner dos anos 1950.

A rota original termina no píer de Santa Mônica, mas há anos foi estendida até o Sunset Boulevard, em Los Angeles.

Fonte:PANROTAS

As 15 melhores cidades do mundo para viver

Destinos , Pelo sétimo ano consecutivo, Viena é a melhor cidade do mundo para viver

Pelo sétimo ano consecutivo, Viena é a melhor cidade do mundo para viver

Anualmente a consultoria Mercer realiza uma pesquisa de Qualidade de Vida e um ranking que mostra as melhores cidades para viver no mundo. Ao todo, 440 cidades foram avaliadas sob a ótica de 39 fatores, divididos em dez categorias. São elas: ambiente político, social e econômico, ambiente sociocultural, considerações médicas e de saúde, escolas e educação, serviços e transporte público, recreação, bens de consumo, moradia e ambiente natural.

 

Apesar de cosmopolitas e conhecidas mundialmente, algumas cidades muito visitas por turistas não estão nem no top 20. Paris, por exemplo, está na 71ª posição. Londres na 72ª e Madrid ocupa o 84º lugar na lista. Nova York está mais bem colocada e fica no 44ª lugar do ranking.

Entre as cidades brasileiras, a mais bem colocada é Brasília, que ocupa a 106ª posição. Rio de Janeiro ficou com 117ª, São Paulo na 121ª e Manaus está no 125º lugar.

Veja abaixo as 15 melhores cidades do mundo:

Viena – Áustria
A capital da Áustria (foto principal) foi eleita pela sétima vez a melhor cidade do mundo para se viver. Com aproximadamente 1,7 milhão de habitantes, a cidade é a maior do país. Um dos motivos de sua fama é ser cortada pelo rio Danúbio. O destino é conhecido também por sua arquitetura rica, cheia de palácios e, claro, pelos doces. Tortas e bolos fazem parte do dia a dia dos austríacos.

Zurique – Suíça
Foto: Myswitzerland.com

Conhecida por conta de seus bancos, Zurique é a maior cidade da Suíça. O destino é repleto de pontos turísticos. Um dos mais conhecidos é o Lindenhof, um parque elevado que foi construído 25 metros acima do rio Limmat. Mesas de pedras, áreas de jogos, como boliche e xadrez e muita área verde fazem parte do parque, que é considerado “Patrimônio Suíço de Importância Nacional”.

Auckland – Nova Zelândia

Fundada em 1840, a cidade foi capital da Nova Zelândia até 1865 e até hoje é a principal cidade do país. Exatos 50 vulcões inativos estão espalhados pelo território da cidade, e o Auckland Domain, maior parque da cidade, foi desenvolvido ao redor de um vulcão desativado. Muitos parques, praias, ilhas e esportes radicais atraem turistas do mundo todo.

Munique – Alemanha

Conhecida internacionalmente por sediar o maior festival de cerveja do mundo, Munique também figura entre as melhores cidades para viver. A capital bávara possui o melhor sistema de transporte público da Europa. O Jardim Inglês e o centro histórico são alguns dos pontos turísticos mais visitados da cidade.

Vancouver – Canadá

Foto: Concordpacific.com

Uma das únicas cidades das Américas no top 10 é Vancouver. O destino canadense é marcado pela diversidade cultural e pelo lazer ao ar livre. Próxima ao mar, a montanhas, florestas e rios, a cidade se divide entre as praticidades da vida urbana e a natureza.

Dusseldorf – Alemanha

Foto: Dusseldorf.regency.hyatt.com

Com mais de 700 anos, a cidade de Düsseldorf é o segundo maior centro financeiro da Alemanha. Na Segunda Guerra Mundial foi uma das cidades mais atingidas do país, e teve seu centro histórico todo restaurado, para a alegria dos turistas. Do lado cultural, a cidade abriga o Goethe Museum, local que retrata obras e a vida do poeta alemão.

Frankfurt – Alemanha

Terceira cidade alemã na lista, Frankfurt é o maior centro financeiro da Alemanha e segundo maior da Europa. Modernidade e cultura se misturam na cidade, que é recheada de museus. O centro histórico da cidade possui construções datadas dos séculos 15 a 18, enquanto a Main Tower oferece uma visão panorâmica da cidade.

Genebra – Suíça
Foto:Swisscorner.com

Sede da Organização das Nações Unidas (ONU) e conhecida como capital da paz, a cidade de Genebra tem muito a oferecer aos turistas e moradores da cidade. Uma curiosidade: cerca de 43% dos moradores de Genebra são estrangeiros. Na terra do relógio, um dos pontos turísticos é o Horloge Fleurie, ou “Relógio das Flores”, que fica nas margens do lago Leman e muda de cor dependendo da estação do ano.

Copenhague – Dinamarca

Modernidade, monumentos históricos e monarquia. Tudo por isso e um pouco mais pode ser encontrado na capital dinamarquesa. Recheada de castelos e outras construções imponentes, a cidade é uma das mais ecológicas do planeta. Além disso, os visitantes podem conhecer também a estátua da Pequena Sereia, do conto do escritor Hans Christian Andersen.

Sidney – Austrália

A principal cidade australiana é considerada uma das cidades mais agradáveis do mundo. Com atrações turísticas que vão desde a praia de Bondi até a famosa Ponte de Baía de Sidney, o destino agrada a todos. O Jardim Botânico da cidade é um dos locais turísticos mais visitados do país.

Amsterdã – Holanda

Conhecida pelos canais e a frota de bicicletas, Amsterdã é uma das cidades mais visitadas da Europa. E atrações não faltam no destino. Entre os pontos turísticos mais tradicionais estão a Casa de Anne Frank e o Museu Van Gogh. A baixa criminalidade é um dos fatores que atraem os turistas e moradores estrangeiros.

Wellington – Nova Zelândia

A Nova Zelândia é um dos países mais prósperos da atualidade. A cidade de Wellington possui o título de capital mais remota e isolada do mundo, já que a cidade mais próxima está localizada a cerca de 2.249 quilômetros de distância. A cidade possui vários pontos turísticos, entre eles o Museu da Nova Zelândia e o Carter Observatory, que é o planetário da cidade.

Berlim – Alemanha

A capital alemã é a quarta cidade do país a figurar na lista das melhores cidades do mundo. Com um contraste entre monumentos históricos e arquitetura contemporânea, Berlim é a cidade das artes e dos museus. Quer números? São nada menos que 170 museus. A Ilha dos Museus, aliás, é considerada Patrimônio da Humanidade pela Unesco.

Berna – Suíça
Foto:Bantourviagem.com

A capital da Suíça é o local de nascimento do físico Albert Einstein e foi o local onde ele criou a Teoria da Relatividade. Desde 1993 a cidade entrou na lista da Unesco como Patrimônio Mundial, por conta da paisagem medieval do local. Um dos pontos turísticos mais famosos da cidade é o Zytglogge, um relógio astronômico construído em 1950.

Toronto – Canadá
Foto:Canadadestino.com

A maior cidade canadense é também uma das melhores para se viver. Com infraestrutura planejada e pitadas de modernidade em quase todas as esquinas, o destino surpreende a cada visita.

Fonte:Panrotas

5ª Edição do Festival Música em Trancoso traz Bobby McFerrin

teatro

Foto: Divulgação

Ao chegar à sua quinta edição, o festival Música em Trancoso, maior evento do sul da Bahia, se consolida, definitivamente, na agenda cultural brasileira. Com sucesso crescente a cada ano, também se fortalece como um efetivo fomentador sociocultural, turístico e econômico na região.

Entre 5 e 12 de março de 2016, o Teatro L’Occitane deve receber cerca de 8 mil pessoas; pela primeira vez via streaming (transmissão ao vivo), a meta é atingir 10 milhões de espectadores online em todo o mundo.

musica em trancoso
Bobby McFerrin – Divulgação

Com direção artística do Mozarteum Brasileiro, o festival, depois de promover, em 2015, o encontro da música clássica com o samba e o tango, desta vez cede espaço ao rock, que dará o tom à quinta edição. Atração mais aguardada, o músico norte-americano Bobby McFerrin se apresentará duas vezes.

Na noite de abertura (5/3), denominada “Bobby Meets Brazil”, ele irá reger a Orquestra Experimental de Repertório (de São Paulo); na segunda-feira (7/3), será acompanhado ao piano por Cesar Camargo Mariano — que comanda a tradicional soirée “Bossa Nova” desde a primeira edição do festival, e sua banda composta por grandes instrumentistas da música brasileira.

Teatro Aberto - divulgação
Teatro Aberto – divulgação

Mas, além do rock, outros ritmos também têm lugar garantido na programação de 2016. No domingo (6/3), o público será brindado com uma noite dedicada à “Opereta”. Sob a regência do maestro Carlos Moreno, a Orquestra Experimental de Repertório acompanhará a violinista Elena Graf, a mezzo-soprano Angelika Kirchschlager e o barítono Rafael Fingerlos. Na terça (8/3), músicos da Salon Chamber Soloists Basel levarão o melhor da música de salão para a plateia. No dia seguinte (9/3), a música de câmara toma conta do teatro com os solistas do Septeto Celibidache da Filarmônica de Munique. No dia seguinte (10/3), ocorre a aguardada Jam Session coordenada por Cesar Camargo Mariano e com a participação de instrumentistas estrangeiros. A noite dedicada à música clássica (11/3) levará ao palco os integrantes da Orquestra Sinfônica de Minas Gerais, que se apresentará sob a batuta de Benoit Fromanger. No último dia (12/3), a orquestra mineira volta ao palco com o maestro Wolfgang Roese para encerrar o festival acompanhada pela Banda Rock Symphony: música clássica e rock prometem encantar e surpreender.

Além das atrações no teatro, três concertos educativos serão realizados pelo Conjunto de Câmara da Orquestra Experimental de Repertório, sob regência do maestro Carlos Moreno, para a comunidade local. As apresentações gratuitas ocorrerão no Bosque do Quadrado, sempre das 12h30 às 13h30, nos dias 7, 9 e 11/3.

Assim como ocorre desde a primeira edição (2012), o festival, que também tem por objetivo incentivar o aprendizado da música, promoverá masterclasses com os experientes músicos estrangeiros convidados desta edição para jovens estudantes, com o intuito de aperfeiçoar a prática e identificar talentos que possam ser elegíveis para bolsas de estudos em academias ou festivais europeus. Além disso, alunos do ensino fundamental das escolas públicas de Trancoso e região receberão aulas de iniciação musical, de segunda a sexta-feira, das 8h às 10h30, com a participação de integrantes das orquestras. Para ter uma ideia do alcance desta iniciativa pedagógica e educativa, nas quatro edições anteriores o festival promoveu 95 masterclasses com 751 alunos e 3.737 crianças receberam aulas de iniciação musical.

IMPACTOS

O Música em Trancoso acontece anualmente entre o Carnaval e a Páscoa, alterando o comportamento do turismo da região e quebrando a tradição de baixa estação deste período do ano. A presença de um teatro voltado às mais diversas formas de expressão artística abre a possibilidade de um incremento turístico e econômico durante todo o ano e não somente no verão.

Isto pode ser facilmente detectado no impacto na economia regional. Para acolher músicos, artistas e equipe técnica de apoio, somente em 2015 a produção do festival envolveu 15 pousadas, 9 restaurantes (serviram 3.820 refeições), 150 transfers entre o aeroporto de Porto Seguro e Trancoso, 25 táxis, 6 ônibus e 20 vans. Juntos, esses números proporcionaram um faturamento superior a R$ 700 mil às microempresas prestadoras de serviços.

 Serviço:
Data: 5 a 12 de março de 2016
Horário: a partir das 17h / início dos concertos às 18h30
Local: Teatro L’Occitane
Endereço: Estrada Municipal de Trancoso, km 19 – Trancoso, Bahia
Ingresso antecipado: R$ 120,00 (por noite); para adquirir, acesse www.musicaemtrancoso.org.br.

Fonte:Jornal Turismo & Eventos