Sabia que King’s Landing existe? Conheça Girona, cenário de “Game of Thrones”

 

Visitar a cidade da Catalunha, na Espanha, é uma viagem no túnel do tempo, com construções da época medieval

Catedral de Girona foi um dos cenários usados para reproduzir King's Landing na sexta temporada da série 'Game of Thrones'
Murilo Aguiar
Catedral de Girona foi um dos cenários usados para reproduzir King’s Landing na sexta temporada da série ‘Game of Thrones’

Quem é fã da série “Game of Thrones”, do canal pago HBO, já tem uma grande lista de destinos se quiser conhecer os Sete Reinos de Westeros, como Irlanda do Norte, Marrocos, Croácia e Islândia, alguns dos países em que foram filmadas as cincos temporadas da produção.

No entanto, uma pequena cidade espanhola a 1h30 de Barcelona, na Espanha, também passa a ser parte do roteiro: Girona serviu de cenário para a sexta temporada da série, que estreia em abril de 2016. E, na verdade, a cidade deveria fazer parte do roteiro de qualquer turista que visita a região da Catalunha.

Caminhe pelas ruelas do bairro antigo de Girona e sinta-se em 'Game of Thrones'
Murilo Aguiar

Caminhe pelas ruelas do bairro antigo de Girona e sinta-se em ‘Game of Thrones’

Com pouco menos de 100 mil habitantes, Girona foi fundada pelos romanos no século 1 a.C. e ainda conserva várias construções do período medieval no que hoje é conhecido como “bairro antigo”. Foi lá que os produtores David Benioff e D. B. Weiss encontraram a locação perfeita para filmar cenas da série baseada nos livros do britânico George R. R. Martin, “A Guerra dos Tronos” – e é lá também que você vai encontrar a locação perfeita para suas férias se o que busca é unir passeios históricos com uma gastronomia moderna reconhecida pelo mundo todo – e tudo isso a pé.

Com ruelas estreitas e grandes muralhas, o bairro antigo de Girona é o típico lugar em que se perder não faz mal algum. Ao contrário, as construções medievais tão bem conservadas que encantam qualquer pessoa pela beleza rústica e calmaria – a cada esquina virada, o turista se sente transportado para um tempo antigo e fica difícil não se imaginar morando ali mesmo, em uma das várias casas com portas encrustadas nos paredões de pedra.

Localizada bem no meio do bairro antigo, a imponente Catedral de Santa Maria de Girona é um bom ponto de partida para conhecer a história da região. Por ter sido contruída no ponto mais alto da cidade, a igreja do século 11 oferece uma vista privilegiada aos turistas. A catedral é também uma lição de arquitetura – ela é conhecida por ter a maior nave (ala principal) entre as igrejas de estilo gótico do mundo, com 22 metros de largura.

Vista panorâmica da cidade é um dos principais motivos para se fazer a caminhada pela extensão da muralha medieval
Murilo Aguiar

Vista panorâmica da cidade é um dos principais motivos para se fazer a caminhada pela extensão da muralha medieval

É pelo lado da catedral também que o turista pode iniciar o passeio pela muralha erguida pelos romanos. A caminhada exige disposição, já que demora cerca de duas horas para percorrer toda a extensão da muralha até a parte nova da cidade, mas a vista panorâmica, os jardins históricos e as torres antigas fazem o esforço valer a pena.

No bairro antigo também encontra-se o Quarteirão Judeu, local em que moraram os judeus antes de serem expulsos da Espanha pelos reis católicos. Apesar de muitos locais históricos judáicos em Girona terem sido destruídos, ainda há várias resquícios da passagem deles pela região. No Museu Judáico Catalão, por exemplo, o visitante pode ver um pouco das ruínas dos lugares onde viviam e das piscinas que usavam para o banho ritual da religião.

Parte nova da cidade também é encantadora

Praça da Independência, em Girona
Murilo Aguiar

Praça da Independência, em Girona

Apesar de o ponto alto de Girona ser o bairro antigo, a parte moderna da cidade reserva boas surpresas – e o melhor é que a maior parte pode ser visitada sem custo algum. A Plaça de la Independència, por exemplo, rodeada de restaurantes, bares e cafés com mesas ao ar livre, fica a cerca de 10 minutos de caminhada do bairro antigo e a 15 minutos do hotel Doubletree by Hilton.

Para quem procura por um refúgio natural, o maior parque da cidade, Parc de la Devesa, tem cerca de 40 hectares com 3.500 árvores que chegam até 55 metros de altura. Durante o Festival das Flores, o parque – e praticamente toda a cidade – recebe milhares de exemplares exóticos em diferentes arranjos, o que atrai mais de 200 mil turistas por ano. O festival acontece sempre entre o segundo e o terceiro final de semana de maio, bem no meio da primavera no hemisfério Norte.

Rio Onyar, que corta a cidade de Girona, na Espanha
Murilo Aguiar

Rio Onyar, que corta a cidade de Girona, na Espanha

As temperaturas da região se mantém altas por um bom período do ano, entre março até meados de outubro, portanto o clima é na maior parte do tempo perfeito para explorar a cidade à pé – e um lugar que não pode faltar na caminhada são as pontes do rio Onyar, que corta a região. Nelas, a vista das fachadas das casas coloridas, em contraste com o branco das pedras do bairro antigo, resume bem a simpatia e organização de Girona – além de, é claro, render uma selfie para fazer inveja aos amigos.

Além disso, a localização de Girona é privilegiada, a 99 km de distância de Barcelona, o que equivale a 1h30 de carro, caso você contrate um transfer ou alugue um automóvel.

É possível chegar até lá de trem, sendo que o percurso entre Barcelona e Girona é de 1h15 com os trens comuns, e cerca de meia hora com trens de alta velocidade. Desde de 1º de outubro, a companhia aérea Tam começou a operar voo direto entre São Paulo e Barcelona, facilitando ainda mais a visitação dos brasileiros na região, já que de Barcelona é possível pegar um voo para o Aeroporto Costa-Brava Girona, que fica a 10 km do centro da cidade. A tarifa da passagem de ida e volta entre São Paulo e Barcelona é de R$ 2.618,45**.

Outra vantagem de ir até Girona é que há muitas cidades e vilas catalãs próximas que podem ser visitadas em um único dia, como a cidade natal do pintor Salvador Dalí, Figueres, ou a charmosa Besalú, com pouco mais de 2 mil habitantes, mas com uma vista de tirar o fôlego.

Por Murilo Aguiar

Fonte:IG

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s