GRU apresenta nova área de embarque

 

Aviação , Visual da nova área do aeroporto, que estará aberta a partir de quarta (2)

Visual da nova área do aeroporto, que estará aberta a partir de quarta (2)
Os Terminais 1 e 2 do Aeroporto de Guarulhos, que passarão a ser apenas Terminal 2, terão embarque doméstico unificado a partir desta quarta-feira (2). Com isso, a cara do Terminal 3 aos poucos vai sendo o padrão de todas as áreas do complexo, isto é, a sinalização gráfica e os equipamentos presentes no terminal internacional serão os mesmos disponíveis para os passageiros de voos domésticos no novo Terminal 2. Vale lembrar que o embarque internacional do Terminal 2 continua sendo feito pelo mesmo local, até sua transferência para a área centralizada. Foram investidos cerca de R$ 300 milhões em toda obra, segundo o presidente da concessionária que administra GRU, Marcus Santarém.

“Essa centralização do embarque doméstico e do setor de raio-X é parte de nosso projeto de modernização e a proposta é deixar tudo com a cara moderna que tem o T3”, explica. “A estrutura antiga contava com quatro áreas de embarque, duas em cada terminal, considerando voos domésticos e internacionais. Dentro do novo projeto, todos os viajantes irão acessar a área de embarque por um único local e depois migrar para o portão do seu voo”, completa o presidente.

Check-in, restituição de bagagem e saguões de embarque e desembarque também passarão por mudanças, “O retrofit ainda ampliará esses itens. Ao todo, serão acrescentados 23 mil metros quadrados de área operacional e 4,6 mil metros quadrados de áreas de alimentação e lojas. O projeto ainda quer construir a Avenida GRU na área restrita, um ambiente destinado apenas para lojas, restaurantes, bares e com vista para o pátio de aeronaves”, aponta Santarém. “O local em que esse embarque unificado estará situado era uma área ociosa do aeroporto.

Todas essas mudanças, que acontecem dentro de dois dias, acompanham a nova numeração do aeroporto, como já anunciado pelo Portal PANROTAS. Com a troca, o Terminal 4 passa a ser o 1 e, unificados, os atuais Terminais 1 e 2 passam a formar Terminal 2. O Terminal 3 é o único que não sofrerá alterações. Enquanto isso, a identificação dos check-ins por terminal ficará desta forma: check-in “A” no Terminal 1, check-ins “B”, “C”, “D” e “E” no Terminal 2 e check-ins “F”, “G” e “H” no Terminal 3.

Fonte:Panrotas
Anúncios

9 dicas para aproveitar a Black Friday ao máximo em Orlando

 

É um deus nos acuda

É um deus nos acuda

A Black Friday é uma tradição anual que ocorre na 4ª sexta-feira do mês de novembro (em 2015, cai no dia 27), após o Dia de Ação de Graças, nos Estados Unidos. Lojas físicas e online oferecem descontos durante todo o dia. Essas 24 horas de “o gerente ficou louco” são levadas bastante a sério nos EUA e a maioria das lojas participa com descontos muito bons. Caso esteja por Orlando nesse dia, aqui vão algumas dicas (na verdade, as dicas valem para os Estados Unidos e algumas até mesmo para o Brasil).

1. Muitas lojas e shoppings começam suas promoções antes da sexta-feira propriamente dita e estendem suas horas de funcionamento. O Florida Mall, por exemplo, fica aberto das 10h às 21h de segunda a sexta, mas hoje, dia de Ação de Graças, fica aberto das 18h à 1h, e na Black Friday, das 6h às 22h. Confira os horários dos shoppings ou dos outlets antes de ir, para aproveitar ao máximo.

2. A Best Buy é uma das lojas que ficam impossíveis. Sério. A galera faz fila na porta para ficar esperando abrir, e as filas lá dentro ficam gigantescas. Pra você ter uma noção, eu fui à loja na esperança de comprar uma GoPro na Black Friday. A fila era de 3 horas e eles não podiam nem me dar certeza que eu ia conseguir comprar uma. Então meu conselho é: pesquise com antecedência o que você quer comprar em sites como Amazon e Best Buy. Se você não tiver muitos dias de viagem e não quiser queimar um deles na fila da loja, compre online mesmo. No endereço da entrega, coloque o do hotel em que você vai se hospedar. Provavelmente vai levar menos de uma semana pra chegar com a entrega normal, mas você pode escolher a entrega express.

3. Dica importante sobre a entrega: preste atenção se será feita por UPS ou por USPS e pergunte na recepção como elas são recebidas. Dependendo de onde você for se hospedar, a entrega por USPS é feita no Front Desk (recepção) do seu hotel. No UPS, eles entregam na porta da sua casa (ou seja, você precisa estar lá para receber). Eu passei algumas semanas com dor nas costas de tão nervosa que fiquei esperando uma entrega de UPS, porque não estaria em casa na hora que ela chegaria. Deu tudo certo no final das contas, mas melhor evitar o perrengue, né?

4. Se você está nos EUA de passagem, prefira comprar pessoalmente só as coisas que você precisa experimentar para saber se gosta, ou seja, principalmente roupas. Eu acho que vale muito a pena comprar os eletrônicos pela internet: sem filas e sem estresse, você vasculha os sites e compara os preços de um jeito mais eficiente.

5. As promoções nos shoppings são boas, mas nos outlets são mais. Os preços lá já são mais baixos normalmente, mas na Black Friday eles abaixam muito mesmo – e não só abaixam, como as lojas fazem várias promoções. Quase todas as roupas que eu comprei na minha estadia em Orlando foram no Orlando International Premium Outlets, durante a Black Friday. Tudo estava com 40% de desconto na American Eagle e a cada tantos dólares de compra você ganhava um cobertor de brinde. Melhor negócio.

Flickr | CC BY-NC-ND 2.0 | wyliepoon

6. Essa é a hora de comprar casacos pesados para o inverno. Sobretudos, jaquetas… Na Guess, por exemplo, alguns casacos chegam a ficar com 60% de desconto.

7. Na segunda-feira pós Black Friday, a Cyber Monday, os eletrônicos ficam em promoção nos sites. Se você gastou a Black Friday inteira no outlet e no shopping comprando roupas e não teve tempo de comprar os eletrônicos, não entre em pânico: você pode conseguir preços até melhores na “Segunda Cibernética”.

8. As lojas do Walt Disney World não entram na Black Friday, mas a Disney Store, sim. A Disney Store é uma franquia de lojas que vende produtos oficiais da Disney, mas não fica dentro da Disney e nem sempre tem os mesmos produtos vendidos nos parques. Mesmo assim, é uma boa oportunidade para pechinchar. As pessoas também fazem fila em frente à loja do Florida Mall. Os descontos valem tanto nas lojas físicas quanto na loja online. Nesse ano, a Black Friday da Disney Store, a “Magical Friday”, começou na sexta-feira anterior ao dia de Ação de Graças (20).

9. “Ah, mas eu só vou pra Orlando depois da Black Friday.” Calma, habemus uma solução. Alguns sites são especializados em receber suas compras e armazená-las até você poder buscá-las. Ou seja, você pode fazer as compras pela internet enquanto está no Brasil e buscá-las quando chegar a Orlando (ou então pedir pra eles entregarem no seu endereço brasileiro mesmo). Funciona como um depósito temporário. Assim você consegue aproveitar as promoções mesmo sem estar lá e não precisa gastar dias se preocupando com as compras – ou então aproveitar as promoções sem sequer viajar. O Porta Malas e o Personal Florida são sites desse tipo.

Fonte:Viagem e Turismo

Carnaval de Salvador 2016 é lançado com muitas novidades

IMG_9105yyy

Daniela Mercury, Prefeito de Salvador (BA), ACM Neto e Bel Marques, no lançamento do Carnaval de 2016. (Foto:Marcos Arruda)

Em coletiva de imprensa na tarde desta quinta-feira (26), no hotel Renaissance São Paulo Hotel, a prefeitura de Salvador (BA) através de seu prefeito ACM Neto anunciou as novidades da festa.

Prefeito ACM Neto faz a apresentação do Carnaval 2016 de Salvador para os convidados.
Prefeito ACM Neto faz a apresentação do Carnaval 2016 de Salvador para os convidados. (Foto:Marcos Arruda)

No próximo ano o Carnaval de Salvador estenderá os dias e terá um numero maior de atrações .

“São Paulo é o primeiro passo para apresentação do nosso carnaval. Em 2016, queremos bater recordes em termos de turistas. Esta é nossa resposta para a crise. Afinal, a melhor maneira de enfrentar a crise, é agir”, afirma ACM Neto.

O tema Vem Curtir A Rua”, escolhido para esse ano , foi em homenagem onde tudo acontece nesses dias de festa.

” o palco é a rua “. explica o prefeito.

Em 2016, a  festa será oficialmente aberta no dia 3 de fevereiro, com a entrega das chaves da cidade ao Rei Momo.

Entre as novidades anunciadas estão:  a ampliação de quatro para sete circuitos oficiais; duas vilas gastronômicas; três palcos temáticos ( rock, samba e multicultural) ; 12 bairros e três ilhas (Frades, Bom Jesus dos Passos e Maré) onde acontecem festas; bailes infantis;  espaços exclusivos para pessoas

Os cantores bel Marques e Daniela Mercury marcaram presença no lançamento do Carnaval 2016 de salvador, BA. (Marcos Arruda)
Os cantores Bel Marques e Daniela Mercury marcaram presença no lançamento do Carnaval 2016 de salvador, BA. (Marcos Arruda)

portadoras de deficiência; 32 camarotes em dois circuitos; 150 apresentações sem corda e 208 blocos com corda.

ACM também destacou que  foram investidos R$ 35 milhões e a cidade espera receber mais de 2 milhões pessoas, sendo 700 mil turistas – 88% Brasileiros  e 12% estrangeiros.

“Já estamos com 90% de ocupação na hotelaria,a expectativa é  chegar em  94% até o inicio da festa “, destaca Neto.

A festa gera um impacto de mais de R$ 1,5 bilhão na indústria do turismo e  250 mil empregos diretos e indiretos.

Fonte:Jornal Turismo Eventos

Sabia que King’s Landing existe? Conheça Girona, cenário de “Game of Thrones”

 

Visitar a cidade da Catalunha, na Espanha, é uma viagem no túnel do tempo, com construções da época medieval

Catedral de Girona foi um dos cenários usados para reproduzir King's Landing na sexta temporada da série 'Game of Thrones'
Murilo Aguiar
Catedral de Girona foi um dos cenários usados para reproduzir King’s Landing na sexta temporada da série ‘Game of Thrones’

Quem é fã da série “Game of Thrones”, do canal pago HBO, já tem uma grande lista de destinos se quiser conhecer os Sete Reinos de Westeros, como Irlanda do Norte, Marrocos, Croácia e Islândia, alguns dos países em que foram filmadas as cincos temporadas da produção.

No entanto, uma pequena cidade espanhola a 1h30 de Barcelona, na Espanha, também passa a ser parte do roteiro: Girona serviu de cenário para a sexta temporada da série, que estreia em abril de 2016. E, na verdade, a cidade deveria fazer parte do roteiro de qualquer turista que visita a região da Catalunha.

Caminhe pelas ruelas do bairro antigo de Girona e sinta-se em 'Game of Thrones'
Murilo Aguiar

Caminhe pelas ruelas do bairro antigo de Girona e sinta-se em ‘Game of Thrones’

Com pouco menos de 100 mil habitantes, Girona foi fundada pelos romanos no século 1 a.C. e ainda conserva várias construções do período medieval no que hoje é conhecido como “bairro antigo”. Foi lá que os produtores David Benioff e D. B. Weiss encontraram a locação perfeita para filmar cenas da série baseada nos livros do britânico George R. R. Martin, “A Guerra dos Tronos” – e é lá também que você vai encontrar a locação perfeita para suas férias se o que busca é unir passeios históricos com uma gastronomia moderna reconhecida pelo mundo todo – e tudo isso a pé.

Com ruelas estreitas e grandes muralhas, o bairro antigo de Girona é o típico lugar em que se perder não faz mal algum. Ao contrário, as construções medievais tão bem conservadas que encantam qualquer pessoa pela beleza rústica e calmaria – a cada esquina virada, o turista se sente transportado para um tempo antigo e fica difícil não se imaginar morando ali mesmo, em uma das várias casas com portas encrustadas nos paredões de pedra.

Localizada bem no meio do bairro antigo, a imponente Catedral de Santa Maria de Girona é um bom ponto de partida para conhecer a história da região. Por ter sido contruída no ponto mais alto da cidade, a igreja do século 11 oferece uma vista privilegiada aos turistas. A catedral é também uma lição de arquitetura – ela é conhecida por ter a maior nave (ala principal) entre as igrejas de estilo gótico do mundo, com 22 metros de largura.

Vista panorâmica da cidade é um dos principais motivos para se fazer a caminhada pela extensão da muralha medieval
Murilo Aguiar

Vista panorâmica da cidade é um dos principais motivos para se fazer a caminhada pela extensão da muralha medieval

É pelo lado da catedral também que o turista pode iniciar o passeio pela muralha erguida pelos romanos. A caminhada exige disposição, já que demora cerca de duas horas para percorrer toda a extensão da muralha até a parte nova da cidade, mas a vista panorâmica, os jardins históricos e as torres antigas fazem o esforço valer a pena.

No bairro antigo também encontra-se o Quarteirão Judeu, local em que moraram os judeus antes de serem expulsos da Espanha pelos reis católicos. Apesar de muitos locais históricos judáicos em Girona terem sido destruídos, ainda há várias resquícios da passagem deles pela região. No Museu Judáico Catalão, por exemplo, o visitante pode ver um pouco das ruínas dos lugares onde viviam e das piscinas que usavam para o banho ritual da religião.

Parte nova da cidade também é encantadora

Praça da Independência, em Girona
Murilo Aguiar

Praça da Independência, em Girona

Apesar de o ponto alto de Girona ser o bairro antigo, a parte moderna da cidade reserva boas surpresas – e o melhor é que a maior parte pode ser visitada sem custo algum. A Plaça de la Independència, por exemplo, rodeada de restaurantes, bares e cafés com mesas ao ar livre, fica a cerca de 10 minutos de caminhada do bairro antigo e a 15 minutos do hotel Doubletree by Hilton.

Para quem procura por um refúgio natural, o maior parque da cidade, Parc de la Devesa, tem cerca de 40 hectares com 3.500 árvores que chegam até 55 metros de altura. Durante o Festival das Flores, o parque – e praticamente toda a cidade – recebe milhares de exemplares exóticos em diferentes arranjos, o que atrai mais de 200 mil turistas por ano. O festival acontece sempre entre o segundo e o terceiro final de semana de maio, bem no meio da primavera no hemisfério Norte.

Rio Onyar, que corta a cidade de Girona, na Espanha
Murilo Aguiar

Rio Onyar, que corta a cidade de Girona, na Espanha

As temperaturas da região se mantém altas por um bom período do ano, entre março até meados de outubro, portanto o clima é na maior parte do tempo perfeito para explorar a cidade à pé – e um lugar que não pode faltar na caminhada são as pontes do rio Onyar, que corta a região. Nelas, a vista das fachadas das casas coloridas, em contraste com o branco das pedras do bairro antigo, resume bem a simpatia e organização de Girona – além de, é claro, render uma selfie para fazer inveja aos amigos.

Além disso, a localização de Girona é privilegiada, a 99 km de distância de Barcelona, o que equivale a 1h30 de carro, caso você contrate um transfer ou alugue um automóvel.

É possível chegar até lá de trem, sendo que o percurso entre Barcelona e Girona é de 1h15 com os trens comuns, e cerca de meia hora com trens de alta velocidade. Desde de 1º de outubro, a companhia aérea Tam começou a operar voo direto entre São Paulo e Barcelona, facilitando ainda mais a visitação dos brasileiros na região, já que de Barcelona é possível pegar um voo para o Aeroporto Costa-Brava Girona, que fica a 10 km do centro da cidade. A tarifa da passagem de ida e volta entre São Paulo e Barcelona é de R$ 2.618,45**.

Outra vantagem de ir até Girona é que há muitas cidades e vilas catalãs próximas que podem ser visitadas em um único dia, como a cidade natal do pintor Salvador Dalí, Figueres, ou a charmosa Besalú, com pouco mais de 2 mil habitantes, mas com uma vista de tirar o fôlego.

Por Murilo Aguiar

Fonte:IG

 

 

Praias, montanhas e terrorismo: veja o cenário real de “Os Dez Mandamentos”

Marcel Vincenti
Colaboração para o UOL, do Cairo (Egito)

Sob ameaça, península do Sinai tem paisagens sagradas e lindas praias

Turistas fazem a trilha pelo monte Sinai, no Egito, durante o amanhecer. Os fiéis acreditam que Moisés recebeu os Dez Mandamentos de Deus neste lugar Alljengi/Creative Commons

O monte Sinai e o mar Vermelho foram cenários para momentos fundamentais da novela “Os Dez Mandamentos”, da Record, que teve sua primeira parte concluída nesta segunda-feira (23).

A região, onde Moisés teria recebido as Tábuas da Lei enquanto conduzia o povo hebreu em sua travessia para a Terra Prometida, é hoje um misto de terreno de peregrinações, paraíso de hedonistas e cenário de guerra.

O monte Sinai é um grande ponto de atração de turistas para o Egito, que costumam subir a montanha percorrida por Moisés durante a madrugada e, ao chegar lá em cima pelo amanhecer, admirar o que talvez seja o mais mágico nascer do sol do Oriente Médio, que envolve em luz e neblina os áridos vales que marcam a área.

Chamado pelos árabes de “Jebel Musa” (Montanha de Moisés), o monte Sinai tem 2.290 metros de altura e seu cume pode ser atingido de duas maneiras: sobre o lombo de camelos ou a pé, através de uma trilha conhecida como Escada da Penitência, na qual os andarilhos devem superar 750 degraus irregulares de pedra. A empreitada é cansativa e, geralmente, se vê envolta por temperaturas gélidas. Mas tais desafios só fazem o passeio ganhar ainda mais sua cara de peregrinação.

Alljengi/Creative Commons

Turistas assistem ao nascer do sol do topo do monte Sinai, no Egito

Atrações religiosas não faltam no destino: na área da montanha fica o monastério de Santa Catarina, cuja origem remonta ao século 4 d.C. e que abriga uma das comunidades monásticas mais antigas do mundo. No complexo é possível visitar edifícios como a Capela da Sarça Ardente (no local onde Deus teria falado com Moisés) e a Igreja da Transfiguração, onde se encontram os restos da mártir Santa Catarina, que batiza o complexo.

Mar Vermelho

A península do Sinai, onde se situam o monte Sinai e o monastério de Santa Catarina, é banhada por outro ícone bíblico: o mar Vermelho. Se Moisés o cruzou durante o Velho Testamento, em uma cena que deu pico de audiência à Record, hoje os turistas gostam é de afundar nesse corpo de água.

A poucas horas do monte Sinai ficam dois balneários antagonistas. De um lado, está Sharm el-Sheikh, um recanto de hotéis caros, cassinos e discotecas, com ótimas águas para o nado e snorkel. Do outro fica Dahab, um lugar de atmosfera hippie recheado de pousadas baratas, restaurantes em conta e uma orla que exibe um mar cristalino.

Esta parte do litoral egípcio tem alguns dos melhores pontos de mergulho do Oriente Médio, com recifes extremamente coloridos e lindos peixes. O famoso Buraco Azul, por exemplo, indicado apenas para mergulhadores experientes, tem mais de 100 metros de profundidade.

Creative Commons

A Península do Sinai é banhada pelo mar Vermelho e tem ótimos pontos de mergulho

Infelizmente, a península do Sinai está hoje mais propensa a ser vista através de uma tela de TV do que em uma jornada de verdade. O lugar é atualmente território de atuação de grupos terroristas. Há indícios de que a queda da aeronave russa que viajava entre o balneário de Sharm el-Sheikh e São Petersburgo no último dia 31 de outubro foi causada por uma bomba plantada no avião, em solo egípcio, pelo Estado Islâmico.

Essa instabilidade faz com que diversos países do mundo não aconselhem, neste momento, jornadas para a maior parte do Sinai. O ministério das Relações Exteriores do Reino Unido, por exemplo, diz que apenas “viagens extremamente essenciais” devem ser realizadas à área que rodeia o monastério de Santa Catarina e sua montanha sagrada.

Sharm el-Sheikh, por sua vez, não é um destino proibido pelo governo britânico. Mas ir à região e não poder visitar o monte Sinai por medo de ataques terroristas é, sem dúvida, um grande pecado.

Fonte:UOL

Ruínas históricas e águas azuis dão charme ao Cabo de Santo Agostinho, em Pernambuco

Débora Costa e Silva/UOL

 

Cabo de Santo Agostinho poderia ser considerada apenas mais uma cidade do Nordeste brasileiro com praias paradisíacas, de águas cristalinas e natureza exuberante. Mas uma visita revela que o destino, em meio às ruínas e às construções que datam do século 17, preserva uma rica fonte de cultura brasileira.

A cidade é reconhecida como marco geológico mundial por ser o ponto de ruptura entre os continentes africano e sul-americano. Contornada por recifes e manguezais, a região é a única em todo o país onde existem rochas graníticas de 102 milhões de anos. São nove praias distribuídas em uma área de 445 km².

É possível conhecer a cidade em um dia em um passeio de buggy, um roteiro que inclui todas as praias, mirantes, a Vila de Nazaré (onde ficam as ruínas históricas, capelas, igrejas e falésias) e o famoso banho de argila (um lago de solo argiloso procurado por turistas que se interessam pelos benefícios estéticos que a aplicação do material traz para a pele). Depois de ter uma visão panorâmica de todas as atrações, fica mais fácil escolher para que lado seguir e traçar seu próprio roteiro.

A temperatura média anual é de 28ºC e, na maior parte do ano, o acesso de carro é fácil, apesar de a estrada ser de terra em alguns trechos. Mas na época das chuvas, de abril a julho, o trajeto pode ficar esburacado. No caminho, o rústico casario local abriga vendas de frutas típicas do Nordeste, como jaca, caju e goiaba.

A história não oficial conta que na costa do Cabo de Santo Agostinho o navegador espanhol Vicente Yanéz Pinzón teria ancorado pela primeira vez no Brasil, em janeiro de 1500, antes da esquadra de Pedro Álvares de Cabral desembarcar na Bahia. Pinzón não tomou posse do território por causa do Tratado de Tordesilhas, que determinava que estas terras pertenciam a Portugal. Nesta época, a região era habitada por índios da etnia Caeté.

Primeiramente nomeado de “Santa Maria da Consolação” pelo explorador espanhol, a descoberta oficial foi feita pelo navegador italiano Américo Vespúcio, no dia 29 de agosto de 1501. As primeiras povoações datam de 1618 e a maioria dos núcleos se concentrou no ponto mais alto da cidade: a Vila de Nazaré, região hoje conhecida como Parque Metropolitano Armando de Holanda Cavalcanti.

Na época em que reinava o cultivo e a exportação da cana-de-açúcar no Brasil, Cabo de Santo Agostinho também viveu momentos de glória, tendo sido considerado o poderio econômico do estado pernambucano. O primeiro engenho a ocupar a região foi o Madre de Deus (hoje Engenho Velho) e mais tarde o Massangana, onde viveu o abolicionista Joaquim Nabuco. Em 27 de julho de 1811, Cabo de Santo Agostinho foi elevada a Vila e em 9 de julho de 1877 foi reconhecida como cidade.

Fonte:UOL