Aeroporto em NY será reconstruído em projeto de US$ 4 bi

Aviação , Projeção do novo aeroporto (foto: divulgação/Governor Andrew Cuomo)

Projeção do novo aeroporto (foto: divulgação/Governor Andrew Cuomo)
O Aeroporto de La Guardia, em Nova York (Estados Unidos), será reconstruído do zero a partir de 2016. Com custo previsto de US$ 4 bilhões, o espaço será unificado estruturalmente em um terminal principal com expansão no acesso de transporte e aumento significante do espaço da pista de taxiamento.

As obras devem ser iniciadas no primeiro semestre que vem, com expectativa de atingir metade do projeto para abrir aos passageiros em 2019 e, finalmente, ser entregue em 2021. A segunda parte do novo terminal será redesenvolvida em paralelo com a Delta Air Lines.

A cerimônia de apresentação contou a presença do governador de Nova York, Andrew Cuomo, e o vice-presidente dos Estados Unidos, Joe Biden. “Nós vamos transformar o La Guardia em um mundialmente renomado aeroporto do século 21 que é digno da cidade e Estado de Nova York”, disse Cuomo.

O design atual do La Guardia compreende de múltiplos e fragmentados terminais, que serão substituídos por apenas um. Para isso, a primeira parte do projeto compreende pela demolição do Terminal B, operado pela Port Authority, e substituição por um com maior estrutura e localizado próximo ao Grand Central Parkway, que incluirá uma nova Central de Chegadas e Sala de Embarque, e conectará aos terminais C e D da Delta Air Lines.

A outra metade da empreitada terá enfoque na repaginação dos terminais existentes próximos ao Grand Central Parkway, conectando-os ao Centro de Chegadas e Sala de Embarques.

Com a empreitada, o Estado de Nova York espera criar oito mil empregos diretos e dez mil indiretos, que serão gerenciados pela La Guardia Gateway Partners, uma parceria público-privada escolhida pela Autoridade Portuária de Nova York e Nova Jersey para construir o projeto.

Fonte:PANROTAS

Em Orlando, a estrada International Drive se firma como centro de lazer

Com novas inaugurações, rodovia se consagra como área de diversão na Flórida

por Cristina Massari


Roda-gigante. Gôndolas panorâmicas na I-Drive – Cristina Massari / Fotos de Crisitna Massari

 

ORLANDO – As pistas largas com canteiros bem cuidados continuam lá. Outdoors, hotéis, restaurantes e lojas se multiplicaram, e as atrações também. A International Drive segue, como há 20 anos, sendo a “Estrada da diversão”, em Orlando, conforme reportagem que escrevi para o Boa Viagem, publicada em 5 de outubro de 1995. Além dos limites dos parques, a via de quase 20km se consolidou e, hoje, muito mais gente circula por suas calçadas que naquela época.

TITANIC DESDE O EMBARQUE

O I-Drive 360, aberto em maio, reúne a roda-gigante Orlando Eye, museu Madame Tussauds e o Sea Life Aquarium, junto a restaurantes e lojas. A novidade substitui o antigo Mercado Mediterranean Village — aberto em 1986 com lojinhas curiosas e bares que faziam sucesso na noite fora dos parques. Das gôndolas da Orlando Eye, que atingem 122m de altura, avistam-se as montanhas-russas dos parques mais próximos e até os ícones dos parques da Disney.

Quem tem saudade das lojinhas do Mercado encontra alento no Artegon, aberto em novembro de 2014, onde funcionava o Festival Bay Mall, na ponta norte da via, próximo ao Universal Orlando Resort. A Ron Jon permanece como âncora, ao lado da Bass Prop Shops Outdoor World, com artigos para esportes ao ar livre. Um Cinemark integra o complexo, que concentra boxes de produção artesanal na área The Village: ali são vendidos de vasinhos de plantas ornamentais em miniatura, gravuras, móveis e objetos de decoração a roupas e acessórios, além de kits para montar aviões de papel, no pequeno museu que exibe exemplares históricos, como o o 14 Bis.Tudo é produzido na região, por mais de 165 artesãos. A Sky Trail diverte os mais jovens, que se equilibram em trilhas suspensas sobre a praça de alimentação. E a recém-inaugurada Gods & Monsters faz a alegria dos fãs de HQs e cultura pop. Eventos de música e gastronomia, como o Food Truck Friday, na quarta sexta de cada mês, animam o local. O Artegon (artegonmarketplace.com) fica em frente ao Orlando International Premium Outlets, que substituiu o outlet Belz, que tanto sucesso fez com ofertas de baixo custo nos anos 1990. No outro extremo da I-Drive, há mais opções de compras no Orlando Vineland Premium Outlets, após a entrada do Sea World, na direção dos parques Disney.

Entre os dois extremos não faltam hotéis, lojas, restaurantes e atrações como “CSI: The Experience” e “Titanic, The Experience”. Inspirado no seriado de TV, o “CSI”, aberto em 2012, é recomendado a maiores de 12 anos (orlando.csiexhibit.com). Lá, o visitante ganha uma identidade de agente forense e prepara relatório de investigação para uma das três cenas de crimes montadas, analisa impressões digitais, exames toxicológicos, de DNA etc. O ingresso pode ser combinado à exibição “Leonardo da Vinci: Man – Inventor – Genius”, no mesmo prédio.

Quase ao lado do “CSI”, “Titanic” reconstitui a viagem do famoso transatlântico. À entrada, um cartão de embarque identifica o visitante como passageiro, classe de tarifa, destino final etc. A exposição é rica em detalhes da construção do navio da White Star Line, recria a cena do embarque no porto de Southampton em 10 de abril de 1912 e ambientes a bordo, além de exibir peças originais recuperadas da embarcação e até uma réplica do iceberg que causou a tragédia, na sala mais sombria e gelada da mostra. No fim, lista de passageiros identifica as almas perdidas (em letras vazadas) e salvas (em letras iluminadas) no naufrágio.

Das atrações que fazem sucesso há mais tempo na I-Drive, a casa de ponta-cabeça do WonderWorks e a casa torta de Rypleys’s Believe it or not! se mantêm populares. Enquanto o Rypley’s diverte e surpreende os visitantes com curiosidades inacreditáveis como um autorretrato de Van Gogh pintado em esmalte de unha, um painel gigante com o perfil de Jimmy Hendrix feito com cartas de baralho ou o Pico de Gallo Art Car — um fusca cravejado de instrumentos musicais inspirado nos mariachis —, o WonderWorks apresenta máquinas e brinquedos interativos de um playground indoor.

 Ali ao lado, o Pointe Orlando é endereço da noite. O Icebar refresca o calorento verão na Flórida. Há ainda o restaurante Cuba Libre, e a descontraída cervejaria Miller’s Orlando Ale House, com mesas para a calçada.

Há 20 anos, Orlando somava 66 atrações. À época, o diretor do escritório de turismo da cidade, Paul Steiner, dizia que seriam necessários 45 dias para se visitar todas elas. Hoje, com a estimativa de mais de cem atrações, o escritório que se dedica à promoção do destino ainda não refez essa conta, diz George Aguel, presidente e CEO do Visit Orlando.

— Há seis anos, dizíamos que seriam 67 dias para ver tudo. Agora, após US$ 5 bilhões em investimentos recentes, imagino que uns 77 dias. Mas não é preciso ver tudo de uma vez. Queremos que os visitantes voltem com frequência, não a cada dez anos. Há sempre algo novo — diz, lembrando que a Universal anunciou recentemente a construção de um novo parque aquático, e que o Sea World, por sua vez, está construíndo a Mako, mais alta, mas rápida e mais longa montanha-russa de Orlando — E, você, não precisa esperar 20 anos para contar outra história sobre Orlando.

Fonte: O Globo

Site indica a turistas onde ‘pau de selfie’ ainda pode ser usado

Equipamentos foram proibidos em diversos museus e atrações do mundo.
Busca pode ser feita por nome da atração, cidade ou país, em inglês.

Casal tira foto com o 'pau de selfie' em Londres (Foto: John Stillwell/AP)
Casal tira foto com o ‘pau de selfie’ em Londres (Foto: John Stillwell/AP)

Os populares “paus de selfie”, equipamentos retráteis que permitem tirar fotos com maior distância e melhores ângulos, foram proibidos nos últimos meses em diversos locais turísticos do mundo, em geral sob alegações de que eles são perigosos para a segurança dos visitantes. Para ajudar os turistas que querem garantir boas imagens, um novo site indica em que lugares eles ainda são permitidos.

No site “Can I bring my selfie stick” (‘posso levar meu pau de selfie’, em português) é possível fazer a pesquisa por nome da atração, cidade ou país. Fazendo uma busca por Roma, por exemplo, o site indica que no Coliseu o equipamento é proibido, enquanto no Vaticano ele ainda é permitido.

O site funciona em inglês – por isso, o nome das cidades, países e atrações devem ser pesquisados no idioma.

Entre atrações populares ao redor do mundo onde o pau de selfie é proibido estão os parques da Disney nos Estados Unidos e diversos museus, como o Palácio de Versalhes, na França, a National Gallery, em Londres, e o Metropolitan Museum of Art, em Nova York.

fonte: G1

Disney oferece pacote com três dias de graça; confira

Destinos ,

A Disney tem, literalmente, um pacote de novidades para o Brasil. O complexo temático oferecerá um produto promocional a partir de 24 de novembro deste ano. Os visitantes que reservarem até 19 de dezembro receberão mais três dias grátis adicionados ao ingresso no Walt Disney World Resort, em Orlando.

Para aderir à novidade, é necessário comprar um pacote de ingresso e hospedagem de ao menos cinco noites nos hotéis do complexo Disney. A oferta também inclui uma refeição por pessoa (prato principal e uma bebida não alcoólica) a cada noite de estadia em hotéis de categorias moderada, deluxe ou villa deluxe.

A Disney Destinations promoverá essa e outras novidades para o mercado e, ainda, confirmou participação na 43ª Abav Expo, que será realizada em São Paulo entre 24 e 26 de setembro.

Fonte:PANROTAS

Qual o impacto das promoções de aéreo para os EUA?

Estudo desenvolvido pela Decolar.com, divulgado há pouco, revela o impacto das promoções das companhias aéreas na venda de passagens para os Estados Unidos no primeiro semestre. A pesquisa tomou como base os seis destinos norte-americanos mais procurados na OTA (em ordem alfabética): Las Vegas, Los Angeles, Miami, Nova York, Orlando e São Francisco.

No período, apenas em fevereiro o tíquete médio foi, com exceção de Miami, maior do que o registrado nos seis primeiros meses do ano passado.

“Diante das turbulências econômicas e da valorização do dólar, as empresas ampliaram consideravelmente o número de ofertas disponibilizando tarifas com preços muito atraentes. Se antes acontecia uma promoção a cada dois ou três meses, este ano, observamos companhias lançando duas promoções durante o mesmo mês”, explica Alípio Camanzano, diretor da Decolar.com.

Confira abaixo os dados divulgados pela agência on-line:

Fonte:PANROTAS

Santiago (Chile) recebe novo hotel butique em novembro

O terraço do empreendimento (foto divulgação)
O terraço do empreendimento (foto divulgação)

Projetado pelo arquiteto chileno Luciano Kulczewski, um dos mais populares da década de 1920, o edifício onde a partir de novembro deste ano funcionará o hotel butique Luciano K passou por uma completa renovação dos 38 apartamentos, que receberam decoração minimalista, traços retos e mobiliário de primeira linha.

O empreendimento contará com um lobby lounge bar, restaurante e terraço com vistas ao Parque Florestal, spa com sauna no subsolo e um terraço de 300 metros quadrados com bar, piscina aquecida e vistas ao Parque e à Praça Baquedano, mais conhecida como Praça Itália.

As unidades estarão divididas em cinco categorias, sendo 18 com vistas ao pátio interno do hotel, 18 com vistas ao Parque Florestal e outra metade com vistas para a rua. Além disso, o empreendimento oferecerá duas suítes de 44 metros quadrados. Café da manhã e sinal wifi estarão inclusos na diária.

Fonte: panrotas.com.br

Mais informações podem ser obtidas por meio do endereço: www.lucianokhotel.com

Teleférico de 2 andares ‘conversível’ leva turistas a montanha na Suíça

Bondinho tem parte superior aberta e leva ao topo do Monte Stanserhorn.
Montanha tem vista para lagos, Alpes Suíços e três países.

Do G1, em São Paulo

Chamado de “CabriO”, o teleférico é apontado por seu operador como o primeiro bondinho com um segundo andar aberto do mundo (Foto: Reprodução/Stanserhorn-Bahn)
Chamado de “CabriO”, o teleférico é apontado por seu operador como o primeiro bondinho com um segundo andar aberto do mundo (Foto: Reprodução/Stanserhorn-Bahn)

Teleféricos que levam turistas para partes altas de montanhas são comuns em muitos locais turísticos no mundo. Os responsáveis por uma montanha na Suíça, entretanto, conseguiram inovar – o bondinho que transporta os passageiros até o Monte Stanserhorn é “conversível”, com uma parte superior aberta para os corajosos que querem ter mais contato com o ar e a montanha.

O Monte Stanserhorn, que fica perto de Lucerna, tem 1.898 metros de altura e oferece uma bela vista para dez lagos, parte dos Alpes e três países.

No total, 60 pessoas podem ser transportadas por vez – 30 na parte superior - até o topo do Monte Stanserhorn  (Foto: Reprodução/Stanserhorn-Bahn)
No total, 60 pessoas podem ser transportadas por vez – 30 na parte superior – até o topo do Monte Stanserhorn (Foto: Reprodução/Stanserhorn-Bahn)

Apesar de não ser a montanha mais alta da região, ela oferece uma boa estrutura, com restaurante e mirante para observação da paisagem.

Chamado de “CabriO”, o teleférico é apontado por seu operador como o primeiro bondinho com um segundo andar aberto do mundo. No total, 60 pessoas podem ser transportadas por vez – 30 na parte superior.

O trajeto tem 2,3 km e é feito em cerca de seis minutos e 30 segundos.

O Monte Stanserhorn, que fica perto de Lucerna, tem 1.898 metros de altura e oferece uma bela vista para dez lagos, parte dos Alpes e três países (Foto: Reprodução/Stanserhorn-Bahn)
O Monte Stanserhorn, que fica perto de Lucerna, tem 1.898 metros de altura e oferece uma bela vista para dez lagos, parte dos Alpes e três países (Foto: Reprodução/Stanserhorn-Bahn)
O trajeto tem 2,3 km e é feito em cerca de seis minutos e 30 segundos (Foto: Reprodução/Stanserhorn-Bahn)
O trajeto tem 2,3 km e é feito em cerca de seis minutos e 30 segundos (Foto: Reprodução/Stanserhorn-Bahn)

Universal é castigada por tornados e tubarões; entenda

Destinos , Na home, cena extraída do filme; aqui, o pôster do telefilme

Na home, cena extraída do filme; aqui, o pôster do telefilme
Você já imaginou um desastre natural que acaba por arrancar, literalmente, tornados e tubarões do mar para “depositá-los” em terra? Acredite, no filme Sharknado, junção de tubarão (do inglês shark) e tornado, isso é possível. Após devastar Los Angeles e Nova York, a obra de sucesso chega na terceira versão, intitulada Sharknado 3: Oh, Hell No!, à Universal Orlando Resort, nos Estados Unidos, para promover um verdadeiro caos.

Produzido pelo canal pago Syfy, o telefilme estreou mundialmente no último dia 22, e teve locações no Universal Studios Florida e Islands of Adventure em fevereiro deste ano. O tornado de tubarões fez inúmeras vítimas e contou com a presença de figuras como o escritor da série Game of Thrones, George R.R. Martin, do apresentador de TV, Jerry Springer e do lutador de wrestling, Chris Jericho.

O espaço do parque norte-americano foi muito bem aproveitado por seus idealizadores. Houve tubarão que ficou preso nos trilhos da Hollywood Rip Ride Rockit, a morte de um dos predadores com a queda do famoso globo da Universal e até a presença do presidente e diretor executivo da Universal Orlando, Bill Daves, que fez uma aparição como funcionário do parque.

Segundo a atriz do telefilme, Ryan Newman, seu momento favorito foi matar um tubarão com golpes de pau de selfie. “Meu personagem vai para a Universal Orlando comemorar o aniversário e acaba por destruir tudo com diferentes armas”, disse.

Confira abaixo um vídeo do elenco comentando as filmagens no parque temático:

Fonte:PANROTAS

Projeto sai às ruas para mostrar São Paulo sob a ótica de turistas

Projeto monta grupos de turistas para desbravar São Paulo || Créditos: Divulgação

Esse é um daqueles projetos que trazem o bem até no nome. Bem São Paulo é uma agência de turismo de experiências focada em turistas, e o projeto Bem São Paulo traz uma ideia simples e não muito nova: passear por São Paulo registrando cada curva que a selva de pedra tem pra mostrar.

Seria incrível se fosse só isso, mas… como os gringos veem a cidade? Partindo dessa ideia, o projeto Bem São Paulo leva viajantes à vida paulistana, para que eles deixem de ser meros observadores externos e façam parte dos pontos turísticos de SP. Com sete anfitriões, em cada dia da semana o projeto oferece um tour experiência diferente de 5 horas, conduzido todo em inglês. Na última terça-feira, os visitantes exploraram o lado descolado da cidade, visitando as ruas de Pinheiros, os bares da Vila Madalena e os encantos do Centro.

Fonte:Glamurama

%d blogueiros gostam disto: