Dicas para conhecer o Harlem, o bairro de Nova York repleto de cultura e história afro-americana

Museu de Arte Moderna (MoMa) preparou guia com os melhores programas da área na região norte de Manhattan


A tranquila St. Nicholas Historic District, conhecida como “Striver’s Row”, no Harlem – Beth J. Harpaz / AP

RIO – De 1910 até 1970, cerca de seis milhões de negros americanos migraram do sul para o norte do país, em busca de emprego e melhores oportunidades nas cidades. Também buscavam fugir das leis segregacionistas, conhecidas como “Jim Crow”, que faziam parte da constituição de diversos estados, como Flórida, Texas, Geórgia e Lousiana, entre outros.

O pintor Jacob Lawrence foi um dos que retrataram este movimento migratório e parte de suas pinturas estão em exposição permanente do Museu de Arte Moderna (MoMa) de Nova York. A cidade, aliás, foi um dos principais destinos dos sulistas, que fincaram raízes, principalmente, no Brooklyn e no Harlem, extremo norte da ilha de Manhattan.

“O Harlem é um ícone, um bairro muito bonito, de renome mundial e que continua a se reinventar”, afirma ao site da Associated Press, Fred Dixon, presidente da NYC & Company.

E foi em homenagem ao pintor e o bairro que o MoMa elaborou um “Walking Tour Guide”, guia para quem quer conhecer o melhor da cultura afro-americana a pé pelo Harlem. Veja algumas das atrações no bairro:

O STUDIO MUSEUMProvavelmente, a mais famosa exposição deste museu é uma mostra com duas palavras: “ME WE”, do pugilista Muhammad Ali, que recitou estas palavras em resposta a um pedido para fazer um poema depois de dar um discurso em Harvard.

CENTRO SCHOMBURG DE CULTURA NEGRA

O Centro Schomburg, parte da New York Public Library, está comemorando o 75º aniversário do American Negro Theatre com uma exposição de fotos, cartazes e recortes desde 1940, quando o teatro abrigava talentos como Ossie Davis, Ruby Dee e Sidney Poitier. É possível encontrar outros murais históricos no Harlem Hospital.

Arquitetura pitoresca e neo-gótica do City College – Beth J. Harpaz / AP

“ROW STRIVER’S”

A área histórica St. Nicholas Historic District também conhecida como Striver’s Row, consiste em três encantadores blocos arborizados entre a Adam Clayton Powell Jr. Boulevard e Frederick Douglass Boulevard. As elegantes casas de pedra e tijolos datam da década de 1890 e já foram lar de proeminentes afro-americanos, como o músico Eubie Blake e o deputado Adam Clayton Powell Jr.

APOLLO THEATER E HOTEL THERESA

Você pode assistir a famosa noite de amadores do Apollo ou fazer um tour para aprender sobre sua história. A casa foi frequentada por James Brown, BB King e Aretha Franklin. Do lado de fora, não esqueça de olhar para leste em busca de um edifício majestoso com as palavras “Hotel Theresa.” O prédio já não funciona mais como um hotel, mas durante décadas acolheu atletas, artistas, empresários e outros afro-americanos que tiveram estadia negada em hotéis no centro. Fidel Castro também se hospedou lá em 1960.

NÃO PERCA!

– Malcolm Shabazz African Market, mercado que vende cestas, tambores e roupas feitas de tecidos e outros itens temáticos da cultura africana. Na 52 W com 116 St.

– Estátua de Harriet Tubman, na St. Nicholas Avenue, perto do 122th St.

– A arquitetura pitoresca e neo-gótica do City College, na 138th St com Convent Avenue.

– A casa de Alexander Hamilton, a Hamilton Grange, na 414 W. com 141th St.

– Marcus Garvey Park, nas ruas 120th até a 124th entre a Madison Avenue e a Malcolm X Boulevard.

fonte: O Globo

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s