Do Brasil, nova opção rápida e confortável rumo a Austrália nos 787 da LAN

A LAN é a única companhia sulamericana que atualmente conta com os Boeing 787, as aeronaves comerciais mais modernas em operação, em sua frota.

 

Fonte:Uol

Ao todo, são dez aeronaves operando voos para São Paulo, Madri, Frankfurt, Los Angeles, Cancún, Miami, Punta Cana, Lima e Buenos Aires a partir de Santiago, capital do Chile.

Boeing 787 da LAN em voo. (Divulgação)

Para passageiros partindo do Brasil, até agora, a única rota onde era possível voar no 787 sem realizar conexões e percursos desnecessários era mesmo entre São Paulo e Santiago. A LAN realiza até dois voos por dia com esse equipamento entre as duas cidades –um trecho curto, de pouco mais de três horas, no qual poucas das inovações presentes nos Boeing são perceptíveis para a maioria dos passageiros.

Isso, no entanto, deve mudar. A LAN pretende passar a utilizar os novos aviões em seus voos diários entre Santiago, Auckland (Nova Zelândia) e Sydney (Austrália), aposentando definitivamente os últimos três A340 de sua frota –utilizados justamente nesta rota– em abril de 2015.

LAN é a única aérea da América do Sul a operar o 787. (Divulgação)

Os A340 são excelentes aviões –um dos poucos modelos de aeronave em operação há mais de 10 anos que nunca sofreu qualquer incidente aéreo com vítimas fatais– e a LAN utiliza o modelo nos voos para a Oceania há 12 anos. No entanto, em parte por conta de seus quatro motores e design antigo, os A340 consomem uma quantidade elevada de combustível e são menos eficientes do que os 787 e outros jatos mais modernos.

A mudança ainda não havia sido feita pois as rotas transpacíficas exigem aeronaves capazes de voar por longos períodos, caso uma das turbinas falhe, utilizando somente os demais motores disponíveis, até alcançar um aeroporto emergencial.

O A340 e o 747, ambos com quatro motores, acabam sendo soluções mais práticas nesses casos do que aviões bimotores –como o 787, o 777 ou o A330–, os quais precisam passar por um processo de certificação especial para comprovar quanto tempo conseguem voar de forma segura com apenas uma turbina em funcionamento.

Assentos leito dos A340 da LAN. (Divulgação)

O 787 recebeu autorização das agências reguladoras dos EUA e da Europa para voar nessas condições por até 330 minutos, dando ampla margem para o jato alcançar aeroportos alternativos, fora de sua rota, no sul do Pacífico.

A LAN espera agora o sinal verde das autoridades chilenas, neozelandesas e australianas para iniciar as operações com os novíssimos Boeing entre a América do Sul e a Oceania.

Para quem parte do Brasil, os voos da LAN são o caminho mais rápido até a Nova Zelândia –pouco mais de 18h de viagem partindo de São Paulo– e a segunda opção mais curta –cerca de 24h de viagem– até Sydney (a Qantas, parceira da LAN na oneworld, voa entre Santiago e a cidade australiana quatro vezes por semana, sem realizar escala na Nova Zelândia, o que reduz o tempo de viagem em cerca de 4h).

LAN é a única aérea da América do Sul a operar o 787. (Divulgação)

Benefícios

Em uma rota longa, que cruza a linha da data, os benefícios do 787 ficam mais evidentes: a cabine é pressurizada a uma altitude menor e com mais umidade, diminuindo os efeitos do ar seco e mais rarefeito de outros modelos de avião.

Classe econômica nos Boeing 787 da LAN. (Divulgação)

Além disso, o 787 conta com janelas 40% maiores, que permitem vistas mais amplas e uma sensação mais arejada durante os voos. As janelas possuem sistema de escurecimento eletrônico, que funciona em conjunto com a iluminação inteligente da cabine para reduzir o impacto do jet lag.

Como a aeronave possui bagageiros maiores e tecnologia de redução de transferência de impacto de turbulência, o voo acaba sendo mais agradável e menos claustrofóbico.

Os Boeing 787 substituirão os A340 na frota da LAN até abril de 2015. (Divulgação)

Os 787 são também uma opção ambientalmente mais correta –a fuselagem mais leve, feita parcialmente com fibras de carbono, faz com que o avião emita 20% menos gás carbônico (CO2) na atmosfera e seja 40% mais silencioso na decolagem do que outros jatos na mesma categoria.

A LAN opera seu mais novo produto nos 787, com entretenimento individual para todos os passageiros e assentos cama renovados na executiva.

Nova executiva a bordo dos 787 da LAN. (Divulgação)

Anúncios

Lista: os dez pontos turísticos mais visitados no mundo

O Grande Bazar, localizado na Turquia, ficou com o primeiro lugar. Cerca de 91.250.000 turistas passam pelo local todos os anos

Avenida Times Square, em Nova York

Avenida Times Square, em Nova York (Rainer Martini/LOOK-foto/VEJA)

Uma relação elaborada pela conceituada revista de turismo Travel + Leisure apontou o Grande Bazar, localizado na cidade turca de Istambul, como a atração turística mais visitada do mundo. O mercado, sediado em uma construção datada do século XV, recebe anualmente 91.250.000 visitantes. Em segundo lugar ficou a praça El Zócalo, situada na Cidade do México e com média anual de 85.000.000 visitantes, seguida na lista pela Times Square, em Nova York, que recebe 50.000.000 turistas. Os números são impressionantes se comparados com outras atrações com fama internacional, como a francesa Torre Eiffel (7 milhões), as pirâmides egípcias de Gizé (4 milhões) e o inglês Stonehenge (1 milhão).

 

Para elaborar a relação, a revista colheu os dados mais recentes divulgados pela administração de cada ponto turístico e por agências do governo, relatórios de indústrias e de respeitáveis órgãos de imprensa. Na maioria dos casos, as informações são referentes ao ano de 2013. A Travel + Leisure informou também que considerou como “atrações turísticas” todos os locais culturais e históricos, áreas de natureza e espaços oficialmente desenhados pelo homem. Praias, pontes e locais que atraem exclusivamente peregrinos religiosos foram descartados.

Confira abaixo os dez pontos turísticos mais visitados no mundo:

Os dez pontos turísticos mais visitados no mundo (números anuais)

Grande Bazar, Istambul

91.250.000 de visitantes

Cerâmicas pintadas à mão, lanternas, tapetes estampados, peças de cobre, jóias de ouro no estilo bizantino e muitos outros produtos que prendem a atenção do público podem ser encontrados nos corredores do Grande Bazar, cujo prédio é datado do século XV. O local foi expandido recentemente e se tornou um ponto obrigatório não só para turistas, mas também para turcos que planejam barganhar produtos típicos com os comerciantes. As opções gastronômicas também valem o investimento, sendo que o destaque vai para os tradicionais kebabs e cafés turcos.
El Zócalo, Cidade do México

85.000.000 de visitantes

Formalmente conhecida como Praça da Constituição, a enorme Zócalo é repleta de curiosidades e eventos para turistas. O local costuma sediar paradas militares, eventos políticos e culturais, shows, mostras de arte, feiras e instalações de arte públicas. A Catedral Metropolitana e o Palácio Nacional dão o tom histórico da visitação à praça. Uma imponente bandeira mexicana hasteada diariamente no local reforça a identidade nacional do ponto turístico.

 

Times Square, Nova York

50.000.000 de visitantes

O coração de Nova York é o terceiro ponto turístico mais procurado pelos turistas. Além das luzes de néon que iluminam o local, as pessoas podem conferir shows da Broadway, grandes lojas e algumas peculiaridades, como personagens fantasiados que posam para fotografias em troca de uma pequena compensação financeira. Áreas reservas exclusivamente para pedestres contam com mesas de café introduzidas há alguns anos para tornar possível a interação entre as pessoas. A Times Square também conta com hotéis e acesso fácil ao transporte público, o que torna a intensa movimentação pelo local menos caótica.

 

Central Park, Nova York

40.000.000 de visitantes

Nova York possui grandes áreas verdes para a população fugir da constante agitação da megalópole. Mas nenhum parque é tão famoso quanto o Central Park, cuja extensão é calculada em 850 acres de terra. Os programas turísticos envolvem passeios de carruagem puxadas por cavalos, um pequeno zoológico e visitações ao Castelo de Belvedere, datado do século XIX. Aos que procuram um lugar para descansar, é possível arrumar um lugar para deitar nas áreas gramadas e apenas observar a movimentação das nuvens.

 

Union Station, Washington DC

40.000.000 de visitantes

Empatada em quarto lugar com o Central Park está a Union Station, na capital americana Washington. Aberta em 1907, a estação comporta 12.500 passageiros que entram e saem da cidade diariamente. Além disso, milhões de turistas visitam o local para observar as estruturas arquitetônicas impecáveis da colossal construção. É possível encontrar traços que variam do estilo clássico ao barroco no local. Mais de setenta lojas nas imediações também tornam a Union Station um espaço de compras para os turistas.

 

Faixa de Las Vegas

30.500.000 de visitantes

Em 2013, 77% dos turistas que visitaram Las Vegas decidiram se hospedar em hotéis localizados na extensa avenida de 6,4 quilômetros. É possível se deslumbrar no local com as fontes do hotel Bellagio e diversas lojas e cassinos que sempre estão de portas abertas para receber os turistas.

 

Santuário de Meiji Jingu, Tóquio

30.000.000 de visitantes

Construído há mais de 100 anos para homenagear o imperador Meiji e a imperatriz Shoken, o santuário é um ponto de paz em Tóquio cercado por uma floresta formada por mais de 100.000 árvores. Os turistas também ficam encantados com os jardins sazonais do local, repletos de vegetações típicas do país oriental que mudam conforme as estações do ano.

 

Templo de Sensoji, Tóquio

30.000.000 de visitantes

Empatado em sétimo lugar na lista com o Santuário de Meiji Jingu está o Templo de Sensoji, também localizado em Tóquio. O templo é o mais antigo da capital japonesa e foi dedicado a Bodhisattva Kannon, um ícone da religião budista. Seguindo as tradições locais, os estabelecimentos localizados nas imediações da construção vendem comida e outros bens aos peregrinos, cuja presença aumenta consideravelmente durante as festividades de réveillon.

 

Cataratas do Niágara, divisa entre EUA e Canadá

22.000.000 de visitantes

Localizada na divisa entre os Estados Unidos e o Canadá, as três gigantescas quedas d’água fazem circular 6 milhões de metros cúbicos de água – em uma queda vertical de 50,2 metros – a cada minuto. Embora existam 500 quedas d’água maiores no mundo, as Cataratas do Niágara são um espetáculo à parte pelo impressionante espetáculo visual que oferecem. Ela também é muito mais acessível para os turistas do que outros fenômenos naturais semelhantes.

 

Grand Central Terminal, Nova York

21.600.000 de visitantes

Mesmo com a intensa agitação dos moradores de Nova York, os turistas costumam visitar o Grand Central Terminal para observar a arquitetura do local e a pintura no teto que ilustra as constelações estelares vistas durante a noite. Lojas e restaurantes, assim como eventos especiais, também atraem a atenção dos visitantes.

 

Fonte:Veja

Serviço de bordo nos voos internacionais da Azul destaca cultura do Brasil

Na próxima semana, a Azul inicia operações regulares de Campinas para a Flórida nos recém-adquiridos A330. Serão as primeiras frequências internacionais da Azul.

 

Fonte:Uol

Os A330 da empresa serão operados nas rotas para Orlando e Fort Lauderdale, cidade próxima a Miami, com duas opções de serviço: além da classe econômica, haverá a business light, uma classe executiva despretensiosa, com mais conforto, assentos reclináveis e boas refeições, mas sem toda a pompa das classes executivas tradicionais.

Em comunicado, Gianfranco Beting, diretor de Comunicação, Marca e Cultura da Azul, afirma que a empresa trabalhou de forma incansável para garantir a seus clientes um serviço de bordo de primeira linha e adianta que brevemente os A330 passarão por reconfiguração interna para oferecer maior conforto em rotas internacionais –inicialmente, os aviões serão utilizados com os interiores já instalados pela ILFC, empresa arrendatária.

Executiva da Azul ainda possui interiores não customizados. (Divulgação)

Mas o que esperar exatamente ao embarcar em Viracopos nos primeiros aviões de grande porte da Azul?

A330-200 da Azul. Foto: Divulgação/Marcos Junglas

De acordo com a a companhia, o passageiro encontrará um serviço que enaltece a cultura brasileira sob diversos aspectos –com menus colecionáveis, gastronomia e cultura que refletem a diversidade brasileira.

Refeições

No momento do embarque e logo após a decolagem, passageiros da executiva receberão bebidas de boas-vindas, incluindo vinhos, destilados, refrigerantes, cervejas, sucos, água e café.

Na classe econômica, cervejas, refrigerantes, uma opção de vinho branco e tinto, uísque, sucos, café, água e aperitivos também serão servidos após a decolagem.

Em voos noturnos, os passageiros da executiva poderão optar por uma refeição expressa, servida de uma só vez, permitindo maior tempo de descanso ou trabalho durante a viagem.

As refeições da executiva terão aperitivos –canapés, queijo com mel de engenho e mix de castanhas– seguidos por opções de entrada que incluem carpaccio de salmão e pato confitado. Os pratos principais incluirão clássicos da culinária brasileira, como escondidinho de carne seca, moqueca de peixe e bobó de camarão, servidos com guardanapos de tecido amarrados em fitas de Nosso Senhor do Bonfim nos voos partindo do Brasil.

Entrada com carpaccio de salmão na executiva da Azul. (Divulgação)

Prato principal na executiva internacional da Azul. (Divulgação)

As sobremesas da executiva também incluirão especialidades brasileiras como quindim, além de queijos, frutas e sundaes.

Já o cardápio da econômica incluirá picadinho de carne, feijoada, strogonoff e escondidinho de carne seca –opções que também privilegiam a culinária nacional. Os menus virão em edições colecionáveis, destacando atrações turísticas do Brasil e dos EUA.

Refeição principal da econômica internacional da Azul. (Divulgação)

Na econômica, menus colecionáveis destacam destinos turísticos. (Divulgação)

O café da manhã de ambas as classes terá frutas frescas, pães –incluindo pão de queijo –, sanduíches, cereais, frios e omelete.

Café da manhã na executiva da Azul. (Divulgação)

Café da manhã da classe econômica internacional da Azul. (Divulgação)

Conforto

A executiva da Azul possui 24 poltronas reclináveis, com apoio para os pés, da alemã Recaro, dispostas em configuração 2-2-2.

Os passageiros da executiva receberão uma nécessaire com produtos do Instituto Karité, que inclui meias antiderrapantes, máscara noturna, escova de dentes, protetor labial, hidratante e plugues de ouvido –edredons, travesseiros e fones de alta fidelidade com cancelamento de ruído estarão disponíveis durante o voo.

Passageiros da executiva da Azul ganham kit do Instituto Karité. (Divulgação)

Na econômica, serão 248 assentos dispostos em configuração 2-4-2 –uma das versões mais comuns em aeronaves modelo A330.

Os passageiros aqui também receberão um mini kit para conforto a bordo, além de cobertores, travesseiros grandes e fones de ouvido.

Econômica dos A330 da Azul. (Divulgação)

Loja gigante de doces em Hollywood tem até urinol que libera bala líquida

Cliente pode criar barra de chocolate e pirulito personalizados.
Local tem mais de mil tipos de doces espalhados em 2.700 m².

Flávia MantovaniDo G1, em São Paulo – a repórter viajou a convite da Brand USA

Turista tira foto perto de privadas e urinois que dispensam doces (Foto: Flávia Mantovani/G1)
Turista tira foto perto de privadas e urinois que dispensam doces líquidos (Foto: Flávia Mantovani/G1)

Totalmente dedicada a doces, balas e chocolates, uma enorme loja de Los Angeles é uma tentação para os amantes dos produtos açucarados. Localizada no centro de Hollywood, no mesmo prédio do Teatro Chinês e em frente à Calçada da Fama, ela já adquiriu status de atração turística entre os visitantes, que passeiam por lá tirando fotos e comprando canecas, camisetas e outros souvenirs.

Na loja de 2.700 metros quadrados, tudo é superlativo – incluindo, evidentemente, o número de calorias dos produtos. São vendidos 860 itens diferentes a base de chocolate, 250 tipos de pirulitos, 200 de balas de goma e chicletes de 140 sabores, além de souvenirs temáticos.

Chocolate e pirulito sob medida
O espaço da Sweet, como se chama a loja, é dividido em várias áreas. Entre elas, está o laboratório do chocolate, onde o cliente pode criar uma barra personalizada, escolhendo o tipo (ao leite, amargo ou branco), o recheio (por exemplo, caramelo, geleia de framboesa ou Nutella, entre muitos outros) e os extras (que incluem cereais, frutas secas e até batatas fritas).

Perto dali fica outra máquina que permite criar pirulitos, escolhendo o recheio, o sabor e a consistência. As engenhocas, aliás, são uma constante na loja. Uma das paredes é tomada por dispositivos de degustação de balas a granel vindas de vários países do mundo, em sabores que vão do “cheesecake de morango” à “pipoca com manteiga”.

Ferrari é usada em simulação com uma máquina disparadora de balas'' (Foto: Flávia Mantovani/G1)
Ferrari é usada em simulação com uma máquina
disparadora de balas (Foto: Flávia Mantovani/G1)

Ferrari, privadas e urinóis
Logo na entrada, chama a atenção uma Ferrari vermelha, usada em uma simulação com uma máquina disparadora de bolas de chiclete (o mais rápido do mundo, segundo a empresa).

No fundo do ambiente, vendedores fazem balas multicoloridas na frente dos clientes, usando líquidos de cores berrantes em tubos de ensaio. Quem quiser pode pedir para colocar seu nome no produto.

A loja se orgulha de dizer que até os urinóis e as privadas de lá liberam bala líquida –felizmente, não dentro do banheiro, mas em uma área separada que faz sucesso como cenário de fotos dos turistas. Atualmente, há no local ainda uma exposição de um artista que cria retratos de famosos com balas.

Loja tem 'laboratório' de doces' (Foto: Flávia Mantovani/G1)
Loja tem ‘laboratório’ de doces’ (Foto: Flávia Mantovani/G1)
Loja gigante de doces (Foto: Flávia Mantovani/G1)
Loja gigante de doces tem 2.700 metros quadrados (Foto: Flávia Mantovani/G1)
Fonte:G1

Confira ranking das 10 cidades mais divertidas do mundo

Os sites GetYourGuide e GoEuro se juntaram para criar o “Ultimate Fun City Ranking”, compilando as cidades mais divertidas do mundo para se conhecer.

Foram analisados 17 sites de turismo e mais de 1.800 cidades, avaliadas em 11 fatores, como permissão para ingerir bebidas alcoólicas em lugares públicos, bares, baladas, compras e museus.

Apenas duas cidades latinas conseguiram um lugar entre as 25 cidades mais divertidas. Buenos Aires ficou em 17º, seguida pelo Rio de Janeiro.

Veja as dez primeiras colocadas no ranking da GetYourGuide e da GoEuro:

1. Berlim – eleita a cidade mais divertida do mundo por diversos fatores considerados pelo ranking, como sua cerveja barata e seus muitos bares, que não têm hora para fechar

Joerg Carstensen/Efe
Berlim ficou em primeiro lugar do ranking das cidades mais divertidas do mundo
Berlim ficou em primeiro lugar do ranking das cidades mais divertidas do mundo

2. Londres – foi a cidade mais bem classificada em termos de shows e clubes noturnos

Suzanne Plunkett/Reuters
Londres ficou em segundo lugar por seus shows e clubes noturnos
Londres ficou em segundo lugar por seus shows e clubes noturnos

3. Paris – apesar de não ter ganho a melhor colocação em nenhuma das categorias do ranking, foi bem avaliada em um grande número delas, como compras, museus e atividades

Lionel Bonaventure/AFP
Paris ficou na terceira posição do ranking
Paris ficou na terceira posição do ranking

4. Nova York – perdeu pontos por ser uma cidade que proíbe o consumo de bebida alcóolica em público, mas foi eleita a melhor na categoria de atividades pelo ranking

Noam Galai/Getty Images/AFP
Nova York é a cidade com mais atividades
Nova York é a cidade com mais atividades

5. Tóquio – a cidade ganhou em duas categorias da GetYourGuide e da GoEuro: bares e compras

Issei Kato/Reuters
Tóquio venceu nas categorias bares e compras
Tóquio venceu nas categorias bares e compras

6. Hamburgo – com uma cerveja barata e permissão para beber em locais públicos, foi considerada a sexta cidade mais divertida do ranking

Bodo Marks/Efe
Hamburgo, na Alemanha, ficou em sexto lugar no ranking
Hamburgo, na Alemanha, ficou em sexto lugar no ranking

7. Roma – apesar de seus bares fecharem cedo, às duas horas, Roma foi bem avaliada pelos sites por suas atividades, bares e clubes noturnos

Gregorio Borgia/Associated Press
Roma é a sétima cidade mais divertida do mundo de acordo com ranking
Roma é a sétima cidade mais divertida do mundo de acordo com ranking

8. Viena – teve pontuação média em todas as categorias da GetYourGuide e da GoEuro, se destacando por sua cerveja barata

Leonhard Foeger/Reuters
Viena ficou em oitavo lugar
Viena ficou em oitavo lugar

9. Barcelona – com bares que fecham tarde, permissão para beber em espaços públicos e cerveja barata, a cidade ficou em nono lugar no ranking

Josep Lago/AFP
Barcelona aparece em nono lugar
Barcelona aparece em nono lugar

10. Istambul – foi muito bem avaliada em clubes de esporte, compras e por seus bares não terem horário para fechar

Daigo Oliva/Folhapress
Istambul foi muito bem avaliada em clubes de esporte, ficando em décimo lugar no ranking
Istambul foi muito bem avaliada em clubes de esporte, ficando em décimo lugar no ranking

Como viajar de avião com bebê de menos de dois anos

Bebê pode ir no colo dos pais, mas nunca pode compartilhar o mesmo cinto (Foto: Fotolia)

O fim de ano está aí e com ele as viagens também. Viajar com os filhos normalmente é uma aventura, com mala reforçada com roupas extras,  fora brinquedos e livrinhos, fraldas e outras quinquilharias. Mas, viajar com bebês de avião pode não ser tão simples.

Apesar de não pagarem passagem, os bebês com menos de dois anos viajam no colo dos pais. O problema é que as empresas não oferecem cinto de segurança para o bebê, ou seja, a criança vai solta no colo da mãe ou do pai. Mas, se no carro eles têm que ir em cadeirinhas apropriadas, por que o mesmo não acontece nos voos?

Segundo a Sociedade Brasileira de Pediatria, há evidências científicas de que em caso de turbulência, situação em que as companhias aéreas costumam exigir o afivelamento do cinto de segurança de todos os passageiros, crianças conduzidas no colo têm risco muito grande de traumatismo grave e até morte. Os pais nunca devem, no entanto, afivelar a criança com o mesmo cinto que eles.

A advogada Virgínia Maluf, 33, vai viajar com o filho de apenas um ano para o Rio de Janeiro no próximo dia 27 pela Gol e, em dezembro, para os EUA pela TAM.  Ela conta que queria um cinto canguru, que é usado por companhias internacionais, onde o cinto da criança é acoplado ao de seu acompanhante. “Liguei para as duas empresas para reservar um cinto, o chamado cinto canguru, para o meu filho. A resposta que tive era que não havia esse equipamento e que meu filho deveria ir solto no meu colo”, comenta a advogada.

Ela conta que, após a sua insistência, a TAM ofereceu o equipamento. Virgínia diz que na Gol diz que não tem o cinto e que se ela quiser que o filho vá em uma cadeirinha, tem que comprar um assento extra. “É um bebê de 13 quilos que está em risco. Não posso deixar ele viajar solto”, comenta Virgínia, que fez uma reclamação formal na Anac (Agência Nacional de Aviação Civil).

“Quem garantirá a segurança do meu filho que viajará no meu colo sem qualquer cinto? Quem garantirá que ele não vai se machucar se o avião tiver uma turbulência?”, questiona.

O departamento de segurança da Sociedade Brasileira de Pediatria recomenda que crianças de qualquer idade viagem de avião num assento individual, acomodadas da mesma maneira como nas viagens de automóvel. Assim, bebês menores de um ano e 10 kg devem ir num assento de segurança tipo bebê-conforto, voltado para trás. Já as crianças entre 10 kg e 20 kg devem ir num assento de segurança voltado para a frente enquanto as crianças com mais de 20 kg, em torno de cinco anos, podem usar o cinto de segurança regular da aeronave.

O QUE DIZEM AS EMPRESAS

Procurada pelo Maternar, a Anac informou que crianças com menos de dois anos não

pagam passagem, mas se os pais querem transportá-la no bebê conforto, que é oferecido pela companhia aérea, devem pagar uma passagem para a criança que ocupará um assento normal.

Segundo a Anac, não há cinto de segurança para acompanhante e bebê juntos. Em relação as máscaras de oxigênio, a Anac diz que as aeronaves já contam com máscaras extras por fileira para que sejam usadas pelas crianças de colo. O número de máscaras extras varia de acordo com as  aeronaves.

Procurada, a Gol diz que é seguro o bebê viajar no colo e que atende a legislação vigente. “A Gol oferece uma cadeira (bebê conforto) que deve ser fixada no assento da aeronave. Para solicitar o equipamento, o cliente deve entrar em contato com a Central de Atendimento com até 48h de antecedência e adquirir um outro assento”, diz a empresa.

Já a TAM informa que oferece o cinto infantil em voos domésticos e internacionais sem custo adicional. Segundo a empresa, o equipamento não precisa ser solicitado previamente. Esse cinto pode ser solicitado para as crianças com menos de dois anos de idade, até 25 quilos e/ou até 1,16 cm de altura.

“Para crianças com até 11 kg ainda é possível contratar o serviço de berço, desde que solicitado com o mínimo de 48 horas de antecedência ao voo. Nos voos para a Europa e Estados Unidos, além do cinto, é possível também contratar o serviço de berço, mediante reserva prévia, disponibilidade e o pagamento da taxa correspondente”, diz nota enviada pela TAM. Já se a opção for usar o bebê conforto, também disponibilizado pela empresa, os pais têm que pagar o assento extra.

As duas companhias dizem ainda que os pais ou responsáveis com bebês de colo são acomodados em fileiras de assentos equipadas com máscara de oxigênio extra para uso, se necessário.

Fonte: Folha de SP