Tam anuncia novo voo diário entre Congonhas e Salvador

Aviação ,

A Tam anunciou para 10 de outubro o início de mais um voo diário ligando o aeroporto de Congonhas, em São Paulo, a Salvador. A companhia avalia que a frequência beneficiará principalmente o viajante corporativo, pois partirá do aeroporto paulistano às 8h46, de segunda a sábado, e às 7h57, aos domingos – durante da semana, os voos da companhia no trecho eram operados apenas à noite. Eles chegam na capital baiana às 11h04 e às 10h07. No sentido inverso, o voo parte às 11h58 e chega às 14h38.

Fonte: panrotas.com

SP entra para a lista da CNN de melhores cidades do mundo para badalação

 

Na última semana, o “CNN Travel Style”, portal conhecido por suas dicas de ouro para os viajantes ao redor do mundo, elegeu as 10 melhores cidades para quem gosta de uma boa balada. Na lista, destaque para São Paulo, que ficou em quinto lugar, deixando para trás metrópoles como Bangkok, Buenos Aires, Las Vegas, Montreal, Barcelona e Londres.

Para definir a colocação, cada cidade recebeu notas para características como tempo de duração de uma balada animada, simpatia das pessoas, boa música e experiência geral. Em São Paulo, além de notas altas em quase todos os quesitos, um dos maiores destaques ficou por conta das baladas temáticas como o náutico Club Yacht, na Bela Vista, e o D-Edge, no Centro, com seu design de brilhar os olhos.

Na frente da capital paulistana, apenas destinos queridinhos das glamurettes festeiras como Nova York, Berlin e Ibiza. Hora de fazer o roteiro e começar a festa!

fonte:Glamurama

Termina greve de pilotos da Air France

A disputa girava em torno de planos para a nova operação de baixo custo, que provocaram a greve que tem custado até 20 milhões de euros por dia

Aviões da Air France

Air France: pilotos têm tentado pressionar a companhia a oferecer os mesmos contratos àqueles que voam as novas unidades Transavia e aos oferecidos aos próprios pilotos

Paris – Pilotos da Air France decidiram dar fim à greve de duas semanas que aleijou a companhia aérea francesa, disse uma autoridade sindical à Reuters neste domingo.

A disputa girava em torno de planos para a nova operação de baixo custo, que provocaram a greve que tem custado até 20 milhões de euros (25 milhões de dólares) por dia.

“Eu posso confirmar que o SNPL (principal sindicato da companhia aérea) decidiu colocar um fim à greve”, disse à Reuters Julien Doboz, porta-voz do sindicato SPAF, que também representa pilotos da Air France.

Ninguém no SPNL ou na Air France estava imediatamente disponível para comentar.

Os pilotos têm tentado pressionar a Air France a oferecer os mesmos contratos àqueles que voam as novas unidades Transavia e aos que a companhia oferece aos próprios pilotos. A empresa tem argumentado que essa demanda é incompatível com o novo modelo de baixo custo.

Os pilotos decidiram terminar a greve sem chegar a um acordo com a companhia aérea francesa, embora as negociações tenham sido retomadas com a diretoria na noite de sábado.

O governo da França controla 16 por cento do grupo e tem um assento no Conselho.

Fonte: exame.com

Parque tem montanha-russa que ‘mergulha’ na água no Japão

Carrinho entra em túnel subaquático dentro de piscina.
Atração fica no Cosmoworld, parque de Yokohama.

A montanha-russa Vanish, no Cosmoworld (Foto: Reprodução/Youtube/antinbath)
A montanha-russa Vanish, no Cosmoworld (Foto: Reprodução/Youtube/antinbath)

O Cosmoworld, em Yokohama, no Japão, é bem menor do que muitos outros parques de diversões pelo mundo, mas atrai visitantes de vários países por uma atração especial: uma montanha-russa submersa.

Batizada de Vanish, ela tem 744 metros de trilhos e 35 metros de altura em sua parte mais alta. Em um certo momento, o carrinho “mergulha” em um túnel subaquático dentro de uma espécie de piscina.

Outra atração do Cosmoworld é uma roda-gigante de 112,5 metros de altura e capacidade para 480 pessoas.

A atração fica em Yokohama (Foto: Reprodução/Youtube/antinbath)
A atração fica em Yokohama (Foto: Reprodução/Youtube/antinbath)
A visão de um visitante que testou a atração (Foto: Reprodução/Youtube/ericsurf6)
A visão de um visitante que testou a atração (Foto: Reprodução/Youtube/ericsurf6)
Carrinho entra em túnel subaquático (Foto: Reprodução/Youtube/antinbath)
Carrinho entra em túnel subaquático (Foto: Reprodução/Youtube/antinbath)
Fonte:G1

Turismo ufológico atrai viajantes a locais como Peruíbe e ilha de Páscoa

ANA KREPP
ENVIADA ESPECIAL A PERUÍBE (SP)

Se você tem medo de ser abduzido por extraterrestres, nem cogite passar as férias em Peruíbe (a 135 km de São Paulo).

O que pode parecer uma inocente praia do litoral sul de São Paulo é, atualmente, uma das cidades com o maior número de registros de atividade extraterrestre no Brasil, segundo o ufologista Wallacy Albino, funcionário da Prefeitura de Guarujá (SP) e outros entusiastas que participam de fóruns sobre o tema. Não há nenhum registro oficial sobre isso.

Mas, se você for do tipo que topa visitar uma espaçonave, pode se juntar aos grupos que vão ao município em busca de experiências ufológicas. São passeios organizados aos sábados, apenas quando há interessados, em turmas que podem variar entre cinco e 30 pessoas.

Desde 2008, quando moradores avistaram um objeto vermelho no céu e no dia seguinte encontraram uma marca de 14 metros de diâmetro em um matagal, a cidade entrou na rota do chamado turismo ufológico.

São Tomé das Letras e Varginha, em Minas Gerais, Caçapava do Sul, no Rio Grande do Sul, ilha dos Colares, no Pará, as chapadas na Bahia e em Goiás, a serra das Belezas, no Rio de Janeiro, e Barra do Garças, em Mato Grosso, também são pontos turísticos para quem quer estar em locais de contato, avistamento ou pouso de objetos não identificados, segundo os ufólogos ouvidos pela Folha.

Ainda incipiente no Brasil, aqui não há agências especializadas nesse tipo de turismo. Nos Estados Unidos, porém, o mercado é mais organizado. Em Roswell, no Novo México, por exemplo, há agências, restaurantes e roteiros para visitar a região –onde há quem acredite que ali caiu um óvni em 1947.

Mas há iniciativas brasileiras isoladas para oferecer o serviço embutido em outros pacotes regulares.

A Terra Inca é exemplo disso. Especializada no que batizou de “turismo de mistério”, promove viagens a lugares como Machu Picchu, no Peru, ilha de Páscoa, no Chile, e Stonehenge, na Inglaterra, durante as quais fenômenos costumam ser citados.

*

AGÊNCIA ORGANIZA JANTAR NO DESERTO DE NAZCA, NO PERU

Enquanto no Brasil o turismo ufológico não é tão disseminado, o mais comum é pessoas organizarem a própria viagem –as agências ajudam apenas para definir locomoção e hospedagem.

O ufólogo paranaense Ademar Gevaerd, referência no assunto, regularmente recebe dúvidas na revista que edita, a “Ufo”, voltada a pessoas que procuram informações sobre lugares para visitar.

“Indico locais em que extraterrestres pousaram ou foram vistos. É possível encontrar moradores que descrevem experiências e fazer vigílias [observar o céu à noite com a expectativa de ver algo]”, diz.

Apesar de não haver números oficiais sobre crescimento, Gevaerd observa um aumento da procura por essa modalidade de turismo no Brasil –e também de estrangeiros vindo para cá.

“Cada vez mais pessoas nos procuram querendo algo a mais do que o turismo. Quase 90% dos clientes que viajam com a gente estão buscando dar sentido à sua existência”, afirma Alcione Giacomitti, autor de livros de mistério e proprietário da agência Terra Inca.

No mês passado, ele conta, abriu inscrições para ir à ilha de Páscoa, no Chile, em dezembro, e as vagas foram preenchidas em seis horas.

Há uma vertente segundo a qual seres extraterrestres tenham visitado o local e ajudado a construir os moais (estátuas de pedra gigantescas). Além disso, por ser o lugar mais isolado da Terra, concentra a maior quantidade de energia do planeta, de acordo com místicos.

Há dois anos, a mesma agência recebia, em média, um e-mail por semana de interessados em viagens ufológicas. Hoje, Giacomitti diz receber quatro por dia.

O deserto de Nazca, no Peru, é um dos principais destinos extraterrestres da Terra Inca. A viagem inclui um sobrevoo –única forma de observar as linhas no chão que, segundo ufólogos, foram feitas por serem do além.

O roteiro inclui jantar de gala no deserto e palestra com um coronel da Força Aérea peruana que narra um voo que fez em um caça nos anos 1980 ao redor de um objeto voador não identificado.

*

EXTRATERRESTRES NO BRASIL

PERUÍBE (São Paulo)
Diz a lenda Uma espaçonave pousou em um matagal da cidade em 2008 e deixou uma marca no local
O que há hoje Tour por alguns pontos do município; moradores relatam avistamentos, mas a grama do local do suposto pouso já cresceu

SERRA DAS BELEZAS (Rio de Janeiro)
Diz a lenda Há relatos de avistamentos e contatos com ETs
O que há hoje Moradores falam sobre experiências ufológicas

SÃO TOMÉ DAS LETRAS (Minas Gerais)
Diz a lenda Há um portal dimensional em uma pirâmide na cidade
O que há hoje A pirâmide existe, mas nenhum portal foi encontrado

VARGINHA (Minas Gerais)
Diz a lenda Ufólogos tiveram acesso a uma gravação em que soldados do Exército afirmam ter capturado um ET na cidade, em 1996; o caso nunca foi totalmente esclarecido
O que há hoje Estátuas em formato de ET e caixa d’água em formato de disco voador

BARRA DO GARÇAS (Mato Grosso)
Diz a lenda Em 1925, um explorador inglês entrou na serra do Roncador à procura de uma “civilização perdida”, que é um portal extraterrestre; ele desapareceu
O que há hoje Um discoporto (área de pouso para espaçonaves)

CHAPADAS DIAMANTINA E DOS VEADEIROS (Bahia e Goiás)
Diz a lenda A alta concentração de minérios atrai ETs
O que há hoje Paisagens naturais, onde é possível fazer vigílias (esperando avistar um óvni)

ILHA DOS COLARES (Pará)
Diz a lenda Houve vários avistamentos de ETs na década de 1970
O que há hoje Moradores falam sobre experiências ufológicas

CAÇAPAVA DO SUL (Rio Grande do Sul)
Diz a lenda É uma cidade da região Sul onde há grande número de avistamentos de ETs
O que há hoje Moradores contam a turistas sobre suas experiências ufológicas

*

EXTRATERRESTRES LÁ FORA

MACHU PICCHU (Peru)
Diz a lenda O local (conhecido como “a cidade perdida dos incas”) foi construído por alienígenas
O que há hoje O local é um dos principais pontos turísticos do país

LINHAS DE NAZCA (Peru)
Diz a lenda Seres extraterrestres fizeram riscos no chão do deserto de Nazca representando animais e outros desenhos
O que há hoje As imagens podem ser observadas em um sobrevoo no local

ILHA DE PÁSCOA (Chile)
Diz a lenda Os moais (estátuas de pedra) teriam sido construídos por ETs; por ser o ponto mais isolado da Terra, o local concentra grande quantidade de energia
O que há hoje Há cerca de mil moais na ilha; são a principal atração do destino

STONEHENGE (Inglaterra)
Diz a lenda Na mesma linha da ilha de Páscoa, ETs fizeram monumento com pedras gigantes
O que há hoje Um círculo de pedras –o mais visitado da Inglaterra

ROSWELL (Estados Unidos)
Diz a lenda Um óvni caiu na cidade do Novo México em 1947
O que há hoje Restaurantes, hotéis e bares temáticos utilizam o tema extraterrestre em suas decorações; há ainda o Museu UFO, que reconta o suposto caso com recortes de jornais e fotos

CIDADE DO MÉXICO (México)
Diz a lenda Há avistamentos na capital e em outras regiões do país, que é considerado o que tem a maior incidência de registros ufológicos no mundo
O que há hoje Moradores contam seus relatos a vistantes

 

Fonte: Folha

Receita Federal reforçará fiscalização em voos internacionais

DA AGÊNCIA BRASIL

Os passageiros de voos internacionais que querem evitar problemas com a alfândega precisarão ficar mais atentos a partir do próximo ano. A Receita Federal reforçará a fiscalização de viajantes que chegam ao País, por meio da modernização de sistemas de inteligência e do cruzamento de informações.

No primeiro semestre de 2015, as empresas aéreas serão obrigadas a enviar à Receita Federal e à Polícia Federal os dados de cada ocupante de voo internacional com destino ao Brasil. Informações como número e peso da bagagem, país de origem do voo e duração da viagem serão cruzadas com um banco de dados para identificar passageiros suspeitos, que serão abordados assim que desembarcarem no Brasil.

O subsecretário de Aduana e Relações Internacionais da Receita, Ernani Checcucci, esclareceu que o reforço na fiscalização não tem como objetivo punir o turista comum ou o profissional que vai com frequência para o exterior.

Segundo ele, a Receita pretende punir passageiros que aproveitam viagens internacionais para fazer comércio, transportar valores ilegalmente ou traficar drogas, armas e medicamentos.

“O grande objetivo das medidas é dar tratamento ágil para o passageiro comum, que será dispensado da fiscalização. O turista e o executivo que viajam com frequência, na verdade, terão a chegada facilitada porque a fiscalização se concentrará apenas em quem efetivamente apresenta algum indício de ato ilícito”, destacou.

Além do repasse das informações pelas companhias aéreas, o reforço na fiscalização envolverá o reconhecimento facial dos suspeitos. No desembarque, um sistema biométrico comparará o rosto dos passageiros selecionados para inspeção com a foto do passaporte. Automaticamente, o suspeito será encaminhado para prestar esclarecimentos.

O cruzamento das informações das companhias aéreas começará em janeiro para todos os voos internacionais. O reconhecimento facial, no entanto, será implementado gradualmente nos aeroportos até o fim do primeiro semestre do próximo ano. De acordo com a Receita, a modernização do banco de dados dos passageiros e a elaboração do sistema de reconhecimento facial custaram R$ 15 milhões em investimentos.

Segundo Checcucci, o reforço na fiscalização não tem o objetivo de melhorar a arrecadação federal, mas de proteger a indústria e o emprego nacional. “A atividade aduaneira não é arrecadatória, mas regulatória. Quem volta do exterior para fazer comércio cria uma competição desleal com quem trabalha e produz no país”, acrescentou.

O subsecretário reforçou que quem cumpre os limites de importação não será abordado pela alfândega no novo sistema de fiscalização. Os passageiros de voos internacionais podem trazer até US$ 500 por pessoa em mercadorias importadas, sendo que itens como celular, câmera fotográfica e computador de uso pessoal estão fora da cota.

Fonte: panrotas.com.br